Barcelona 🆚 Real Madrid | Lição “merengue” em grande clásico

-

GoalPoint-Barcelona-Real-Madrid-Spanish-La-Liga-202021-Ratings
Clique para ampliar

O “el clásico” entre Barcelona e Real Madrid não defraudou os adeptos e as duas equipas presentearam-nos com um grande espectáculo. O emblema que saiu com um sorriso foi o “merengue”, que ganhou 3-1. Zinédine Zidane somou a terceira vitória em cinco jogos da La Liga ao leme do emblema de Madrid e mantém-se invicto na Cidade Condal, graças a uma exibição personalizada da sua equipa, com golos de Fede Valverde, Sergio Ramos e Luka Modric. Ansu Fati fez o tento do da casa.

E que arranque de jogo. Logo aos cinco minutos, Karim Benzema serviu Fede Valverde e este, isolado, bateu Neto – este em estreia em “clásicos”. Três minutos apenas volvidos, Jordi Alba foi à linha e cruzou para finalização de Ansu Fati, que se tornou no segundo mais jovem jogador de sempre a marcar em embates entre os dois colossos. Em menos dez minutos, os dois jogadores que destacámos na nossa antevisão “molharam a sopa”.

Os golos surgiram cedo, mas as oportunidades continuaram a aparecer, com futebol de ataque, solto, criativo, dinâmico de parte a parte, e com duas ocasiões desperdiçadas para cada lado e por dois elementos a quem se esperava uma maior eficácia: Lionel Messi e Karim Benzema. Assim, o jogo chegou ao descanso com uma igualdade e com números que apontam para um equilíbrio global, com um ligeiro ascendente “blanco”.

O segundo tempo começou com o Barça a dar mostras de quer assumir o jogo, chegando mesmo aos 66% de posse de bola à passagem da hora e com alguns lances bem gizados, geralmente com Messi e Fati envolvidos. Mas aos 63 minutos o Real recolocou-se na frente. Após consulta do VAR, o árbitro assinalou falta de Clément Lenglet sobre Sergio Ramos na grande área e central “merengue” bateu ele próprio o pontapé com êxito.

O Barça partiu em busca do prejuízo, mas a verdade é que o Real dá-se bem na expectativa e foi lidando com os lances de perigo, com maior ou menor dificuldade. Para os derradeiros dez minutos, Koeman lançou, entre outros, Francisco Trincão. Mas foi Toni Kroos, aos 86 minutos, quem esteve perto de marcar, a dois tempos, com Neto a evitar o golo visitante. E logo a seguir, enorme o guardião do Barça a negar um golo feito a Sergio Ramos, em momentos de desnorte “blaugrana” na defesa.

E em cima dos 90, esse desnorte foi aproveitado por Modric para sentar Neto e atirar com classe para o 3-1, com um remate colocado e pleno de classe.

Sergio Ramos 7.6 – Esteve em dúvida para o encontro, por problemas físicos, mas recuperou e foi o melhor em campo. O central espanhol fez um golo, de penálti – cometido sobre o próprio defensor -, e esteve muito activo nas duas extremidades do campo, com quatro remates, três deles enquadrados, 94% de eficácia de passe, 12 passes progressivos certos, cinco acções com bola na área contrária, superioridade nos três duelos aéreos em que participou e 11 acções defensivas, entre elas três desarmes e outras tantas intercepções.

Toni Kroos 7.4 – O “patrão” do meio-campo do Real voltou em grande. O alemão enquadrou dois remates, criou uma ocasião flagrante em cinco passes para finalização, falhou somente quatro de 64 passes e realizou quatro desarmes. Tal como Sergio Ramos, desperdiçou uma ocasião flagrante.

Ansu Fati 6.5 – O melhor do Barça não foi Messi. O argentino esteve apagado e terminou com um rating tímido de 5.0, pelo que foi o jovem Fati a brilhar. Aos 17 anos e 358 dias tornou-se no segundo mais jovem de sempre a marcar num “el clásico”, criou duas ocasiões flagrantes nos dois passes que fez para finalização e esteve sempre irrequieto.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR