Barómetro: chegou o tiki-taka “azul-e-branco”?

O barómetro é mais uma novidade GoalPoint (foto: J. Trindade / Infografia: GoalPoint)
O barómetro é mais uma novidade GoalPoint (foto: J. Trindade / Infografia: GoalPoint)

Iniciamos com este artigo uma nova rubrica, o Barómetro GoalPoint, através do qual tomaremos o pulso aos “três grandes” a cada jornada da Liga 2014/15, dando conta das principais conclusões decorrentes da nossa análise do desempenho de Benfica, Porto e Sporting. Partilharemos não só conclusões como também um resumo visual de alguns dos principais indicadores que iremos acompanhar.

Abrimos o Barómetro GoalPoint com o FC Porto, que entrou da melhor forma ao vencer o Marítimo por 2-0, numa exibição que demonstrou significativas diferenças (embora sujeitas a confirmação) face a um FC Porto muito abaixo do esperado no decurso da época 2013/14. Partilhamos as principais notas que a exibição dos “dragões” nos suscitou (para mais informação leia também a nossa análise do último encontro do FC Porto).

Passe: “carrossel” no Dragão

O FC Porto fez 697 passes com 89% de eficácia (620 passes certos), um registo verdadeiramente impressionante sobretudo se comparado com os rivais (Benfica registou 561 passes e Sporting apenas 335).

Remate: muitos e dentro da área

Os “dragões” realizaram 25 remates, um número significativo, mas apenas cinco saíram enquadrados com a baliza. Mas mais importante que o elevado total é o facto de 16 dos remates disferidos terem sido efectuados já dentro da grande área, o que indicia uma aparente opção táctica por levar o perigo até aos terrenos mais próximos da linha de golo, a confirmar nos próximos jogos. O “mustang” (Quaresma) foi o mais rematador dos “azuis-e-brancos” mas com total ineficácia: disparou por oito vezes mas nenhum dos seus tiros saiu enquadrado com a baliza.

Cruzamentos: pelas alas vem o perigo

O FC Porto efectuou 26 cruzamentos de bola corrida, com uma eficácia de cerca de 23%. O recurso frequente a Brahimi e Quaresma, devidamente apoiados por Danilo, Alex Sandro, Herrera e Óliver Torres, rendeu ainda 12 pontapés de canto para os “dragões”, uma consequência natural da elevada produção pelas alas: o Porto atacou sobretudo pela ala esquerda (43%) e apenas 22% dos ataques do Porto ocorreram pelo centro do terreno.

Intérpretes: Óliver, Quaresma e Brahimi no pódio da criação

Quaresma e Óliver foram os jogadores de passe mais eficaz (acima dos 90%) com o jovem espanhol a ser o futebolista com mais passes (79) no Porto, do meio-campo para a frente. O argelino Brahimi foi claramente um desequilibrador, ao liderar na hora de decidir o passe para ocasião de golo: realizou quatro, ainda que nenhum deles tivesse sido aproveitado pelos companheiros.

Esta quarta-feira apresentamos o Barómetro GoalPoint dedicado ao arranque do Sporting CP na Liga 2014/15, terminando com o quadro-resumo que iremos partilhar consigo semanalmente, para cada um dos crónicos candidatos ao título.

 Para mais análise, detalhe e estatísticas contacte a GoalPoint Partners ([email protected])