Barómetro: Gaitán e Maxi a puxar pelo Benfica

Para "matar um borrego" com nove anos, o Benfica fez-se valer das exibições de dois dos jogadores há mais tempo no clube, Gaitán e Maxi Pereira. Confira o Barómetro do campeão.

GP -destaque - barometroSLB1J - 21Ago2014

Após a análise à estreia do FC Porto na Liga 2014/15, focamos agora a nossa atenção no campeão nacional, que venceu não só o Paços de Ferreira por duas bolas a zero como também uma longa tradição (o Benfica não conseguia vencer a primeira jornada da Liga há nove épocas). Ao contrário do que o resultado possa indicar, o jogo não foi fácil para as “águias”, com os pacenses a mostrarem boa organização defensiva e capacidade de contra-atacar com eficácia, conforme referido na nossa análise do jogo. Destacamos agora as principais notas do Barómetro benfiquista após este primeiro jogo, o qual será actualizado a cada semana para uma noção completa da evolução do desempenho dos campeões em título.

Remate: Quantidade vs. Eficácia

O Benfica fez apenas mais um remate que o Paços, 13 contra 12. Os pacenses fizeram até mais disparos enquadrados que os “encarnados”, cinco contra quatro. Mas na hora de medir a concretização os homens da Luz registam 15% de aproveitamento dos remates efectuados (o FC Porto, conforme referido no Barómetro, regista neste momento apenas 8% de aproveitamento). Uma das explicações do maior acerto dos campeões nacionais poderá estar no facto de terem realizado 85% dos seus remates já dentro da grande área.

Passe: a “lei” dos 500

O Benfica fez, como é usual numa equipa dominadora, mais de 500 passes (561), com um acerto de cerca de 83%. Sinal de que o Paços deu boa réplica é o facto de ter registado a mesma eficácia de passe (73%) que os “leões” apresentaram na véspera, fazendo menos 38 passes que o Sporting no decurso dos 90 minutos (297 contra 335).

Enzo deixará saudades… se sair

Aquando da sua substituição, Enzo Pérez havia executado 20 passes, 13 deles no meio-campo contrário e com… 95% de eficácia.

Gaitán e Maxi foram os dínamos

O lateral Maxi Pereira foi de longe o mais activo entre os encarnados com 78 passes e 88,5% de acerto, 53 deles no “miolo” adversário. O uruguaio foi também o segundo que mais oportunidades criou (três), ultrapassado apenas pelo argentino Gaitán com cinco, duas delas assistências para os dois únicos golos da partida.

Atenção a Jean Seri

No Paços, Jean Seri foi o jogador que mais passes para ocasião fez (dois num total de seis dos pacenses). Seri foi também o pacense que fez mais passes (49) e o que os realizou com maior eficácia (83,7%).

O “Barómetro GoalPoint” dedicado ao Benfica será, a partir de agora, actualizado semanalmente.

barometro1slb