Barómetro: “Leões” ainda em serviços mínimos

Leões estiveram alguns "furos" abaixo do esperado em Coimbra e o desempenho registado comprova-o.

O Sporting CP não terá mostrado a sua real capacidade em Coimbra (foto: J. Trindade / infografia: GoalPoint)
O Sporting CP não terá mostrado a sua real capacidade em Coimbra (foto: J. Trindade / infografia: GoalPoint)

Terminamos o primeiro “Barómetro GoalPoint” analisando o desempenho do Sporting CP após a primeira jornada. Os “leões” não entraram como certamente desejariam e seriam capazes nesta Liga e os números demonstram-no, para lá do resultado final. Destacamos as principais notas decorrentes desta análise terminando com o “barómetro” global leonino.

Leões económicos e pouco eficazes no passe

O Sporting fez apenas 335 passes, dos quais 90 sem sucesso, o que resulta numa eficácia de passe de apeans 73%.  Sporting e Académica tiveram, neste capítulo, percursos inversos na passagem da primeira para a segunda parte do jogo: os leões cairam de 77% para 67% enquanto os “estudantes” melhoraram de 71% para 79%.

Sem comparação com a visita anterior a Coimbra (a não ser no onze apresentado)

Em 2013/14 o Sporting batia, à segunda jornada, a Académica por 4 bolas a 0 em Coimbra, fazendo 558 passes com 87% de eficácia. Os leões efectuaram, nesse jogo, 10 remates enquadrados à baliza, contra apenas quatro na mais recente visita aos “estudantes”. No entanto existe outro factor que valida a comparação: no onze inicial apresentado pelos “leões” em ambos os jogos apenas se registaram duas alterações, a entrada de Naby Sarr para o lugar de Marcos Rojo e a titularidade de Heldon em detrimento de Wilson Eduardo.

William rendeu acima dos média dos demais (enquanto esteve em campo)

William Carvalho estava a ser, até à sua saída prematura, o único médio leonino com um rendimento acima da média: 33 passes com 87,9% de eficácia. Adrien fez 46 passes com 76% de eficácia e André Martins fez apenas 22 com 77%., sendo que este foi, a par do lateral Jefferson, o jogador com mais passes para ocasião de golo (3).

Rui Patrício registou apenas 54% de eficácia de passe contra 65% de Cristiano, uma média muito baixa para um guarda-redes e demonstrativa da necessidade que o Sporting teve de fazer lançamentos longos, após a subida em campo da Académica e expulsão de William Carvalho.

Regressamos em breve com nova actualização do “Barómetro GoalPoint” de Sporting, Benfica e Porto.