À medida que se vão somando jornadas na Liga NOS 2015/16 o Barómetro GoalPoint vai ganhando forma, como ferramenta de comparação do desempenho de Benfica, Porto e Sporting. E exactamente porque o somatório dos números absolutos o justificam passamos, a partir desta semana, a ponderar a média por jogo da maioria das variáveis cobertas, de modo a melhor melhor ilustrar a produção média comparada por cada 90 minutos dos três crónicos candidatos.

Eis o barómetro dos “grandes”, actualizado após a conclusão da quarta jornada:

Barómetro GoalPoint 2015/16: Jornada 4
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

BENFICA RECUPERA EFICÁCIA

A principal consequência da goleada consumada pelo SL Benfica frente ao Belenenses passa pela significativa recuperação da eficácia concretizadora (% de remates convertidos em golos) por parte dos “encarnados”, apesar do campeão nacional ainda surgir atrás dos rivais, muito próximos neste capítulo: Porto e Sporting concretizaram até agora aproximadamente 16% dos remates efectuados.

SPORTING EM DÉFICIT CRIATIVO?

Nem todos os golos nascem de jogadas de circulação e o último encontro do Sporting é prova disso, com os “leões” a chegarem ao 2-0 sem terem efectuado qualquer passe para ocasião nos primeiros 45 minutos. No entanto, se encararmos o número de passes para golo como métrica da “saúde do jogo de circulação ofensiva os sinais de dificuldade são claros para um Sporting que, neste capítulo, foge ao registo habitual das equipas de Jorge Jesus. Os “verde-e-brancos” vão fazendo nove passes para ocasião por encontro, menos dez que o Benfica e menos três que um FC Porto de Lopetegui que, até hoje, nunca se evidenciou claramente neste capítulo desde a chegada do espanhol.

Os leões apresentam também uma menor eficácia nos duelos individuais travados, neste momento ligeiramente abaixo dos 50%, outro indicador em que surgem não só abaixo dos rivais como da média habitual dos “grandes”.

“DRAGÃO” EQUILIBRADO NA DEFESA

Os “dragões” não brilham em muitos aspectos deste barómetro mas acabam por apresentar um registo defensivo equilibrado ao permitirem apenas dois remates enquadrados por encontro e com Casillas a parar 75% desses disparos, até ao momento. O Sporting até é menos permissivo que os “dragões” (1,5 remates) mas viu 66% dos tiros enquadrados efectuados na direcção de Rui Patrício terminarem em golo.

CHOVEM PENALTIES PARA (E CONTRA) O “LEÃO”

O número de grandes penalidades ocorridas nos jogos do Sporting é uma curiosidade incontornável. Os “verde-e-brancos” somam tantos penalties a favor quantas as jornadas decorridas. Mas nem tudo são “rosas” para o “leão”: a equipa de Jorge Jesus também já cometeu faltas para grande penalidade em duas ocasiões. O cenário é bem menos curioso entre os rivais, com apenas uma grande penalidade (a favor, para o Benfica) nos registos de “águias” e “dragões”.

No capítulo disciplinar o destaque vai para o número de cartões amarelos acumulados pelo FC Porto (13), mais do que o somatório dos dois adversários na perseguição ao título. O “dragão” viu nada menos do que seis amarelos no último encontro, frente ao Arouca.