A oitava jornada da Liga NOS 2015/16 fica incontornável marcada pelo mais aguardado derby dos últimos anos e ainda mais pelo resultado desequilibrado e inquestionado obtido pelo Sporting na Luz. Um desfecho que acaba por ter impacto não só na classificação (os “leões” lideram agora a Liga) como também no barómetro semanal através do qual acompanhamos algumas das principais variáveis de desempenho estatístico dos principais candidatos ao título e que nos permite concluir que, por agora, lidera quem é, no fundo, mais eficaz.

Barómetro GoalPoint 2015/16: Jornada 8
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

“ÁGUIA” EM QUEDA, “LEÃO” ASCENDENTE

Apesar de as “águias” ainda liderarem no que toca à media GoalPoint Ratings, o bicampeão é o único dos três emblemas a (naturalmente) cair após um jogo pobre (também no plano estatístico), com natural impacto nos ratings individuais dos protagonistas.

Mas mais do que o rating colectivo o Benfica perde a liderança na média de remates enquadrados a cada 90 minutos, bem como acentua o registo mais pobre no que toca a concretização e ao número de remates enquadrados que permite por jogo. Os “encarnados” continuam a ser a equipa que mais passes para ocasião faz por jogo entre os candidatos mas a verdade é que tal indicador não encontra correspondência em golos, logo em pontos.

o Sporting, que nas primeiras edições do Barómetro apresentava poucos pontos positivos, lidera agora naquelas que são, porventura, as variáveis mais determinantes e que sustentam a sua liderança na Liga neste momento. Os “leões” fazem agora mais remates enquadrados que os rivais (embora por curta margem) e são sobretudo os mais eficazes na hora de os converter em golo. A equipa de Jorge Jesus é, ao mesmo tempo, a equipa que menos remates enquadrados permite, um feito que, não sendo novidade no barómetro, acaba por sair acentuado na última jornada. Os “verde-e-brancos” podem ainda não apresentar registos brilhantes noutros indicadores, em particular no capítulo das ocasiões criadas por jogo, mas ganham superioridade recente em áreas nucleares para um candidato ao título. E isso nota-se na classificação.

Numa jornada em que o FC Porto não soube acompanhar os acontecimentos do derby lisboeta, a produção “azul-e-branca” mantém-se relativamente inalterada, beneficiando em alguns capítulos até da quebra benfiquista embora perdendo destaque no importante plano da concretização, o que ficou bem evidente no confronto com o Braga.

Confira todas as edições do Barómetro GoalPoint neste link.