O Benfica foi a Belém golear a equipa de Julio Velázques por 5-0 golos sem resposta, castigando severamente o “atrevimento” do espanhol em querer discutir o jogo olhos nos olhos. Quem atentar no número de remates enquadrados não encontrará razões para tamanho desnível (a não ser a já habitual eficácia concretizadora da “águia”) mas, e apesar da preponderância de Júlio César no nulo, a noite foi encarnada, não só na quantidade mas também na qualidade do futebol praticado pelos campeões, que aguardam agora a chegada dos testes onde verdadeiramente falharam na primeira volta: os grandes clássicos.

Liga NOS 2015/16 - Jornada 21 - Beleneneses vs Benfica
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O arranque do encontro fazia prever a goleada concretizada mas a verdade é que, após uma fase inicial de desperdício benfiquista o Belenenses conseguiu equilibrar os indicadores de domínio (posse, duelos e eficácia de passe), pecando apenas no último terço, apesar de mostrar-se sempre “tremido” defensivamente, acabando por permitir o golo encarnado perto do intervalo, o primeiro de Mitroglou na partida. A “tremideira” defensiva viria a revelar-se fatal no segundo tempo: o Belenenses mostrou-se mais afoito ofensivamente (com Júlio Cesar sempre em alerta e decisivo na “folha limpa) mas abriu também o flanco à imagem de marca do Benfica recente: a “águia” não perdoa em frente à baliza, com Mitroglou e Jonas a encherem o “saco” à custa dos “pastéis”, devidamente apoiados por Pizzi (que não pára de oferecer golos) e um Gaitán regressado em plena forma.

O Belenenses pagou uma factura semelhante à que o Vitória de Quim Machado havia recolhido em Setúbal, frente ao Sporting: tentar jogar olhos nos olhos pode custar caro. Foi o caso, para Julio Velásquez.

Afinal é mesmo… Mitrogolo

Os quatro homens da frente do Benfica foram os grandes destaques do encontro, em termos de desempenho. Jonas nos golos e a dupla Pizzi/Gaitán nas assistências (duas cada um) foram os protagonistas do pânico defensivo azul mas mais alto brilhou “Mitrogolo” com um hat-trick que retira quaisquer dúvidas sobre o companheiro ideal de Jonas na frente de ataque “encarnada”. Jiménez pode ter custado muito dinheiro ao Benfica mas é o “flop da Premier” e emprestado Kostas Mitroglou que vai convencendo, com golos, Rui Vitória na fase quente da época. Os quatro “cavaleiros do apocalipse” belenense contaram ainda com um Renato Sanches de regresso às boas exibições e o já referido Júlio César foi instrumental no objectivo de manter a baliza encarnada inviolada, somando seis defesas, pelo menos uma delas essencial, a remate explosivo de Carlos Martins.

O Benfica passa agora o fim-de-semana na liderança, aguardando pelo resultado do Sporting na próxima segunda-feira antes de receber os “dragões” na próxima jornada.

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS