GoalPoint-Belenenses-Sporting-LIGA-NOS-201718-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Belenenses-Sporting-LIGA-NOS-201718-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Belenenses-Sporting-LIGA-NOS-201718-90m
Clique para ampliar

O Sporting apertou o cerco ao Benfica após vencer o Belenenses, por 4-3, no Estádio do Restelo, num dérbi lisboeta de alta intensidade marcado por três grandes penalidades, duas para os da casa e uma para os forasteiros. O Sporting reagiu bem à desvantagem madrugadora e chegou ao intervalo com dois golos de vantagem. Só que os comandados de Jorge Jesus foram surpreendidos pela resposta firme da equipa da casa, que repôs a igualdade com dois golos “de rajada”. Foi de grande penalidade que os “leões” fixaram aquele que seria o resultado final, numa partida em que Bruno Fernandes, com um golo e duas assistências, foi figura maior.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Início frenético de jogo, com golos para as duas equipas. Primeiro foi o Belenenses, numa grande penalidade convertida por Yebda, após uma falta de Rui Patrício sobre Yazalde. A vantagem dos da casa foi, no entanto, sol de pouca dura: cinco minutos após o golo inaugural, Bas Dost repôs a igualdade, após uma bola longa de Bruno Fernandes. O primeiro quarto-de-hora chegava ao fim com o Sporting em ligeira vantagem na posse de bola (57%) e com apenas um remate, enquanto a equipa belenense somava quatro disparos, dois deles enquadrados.
  • E foi então que surgiu o golo que confirmou a cambalhota no marcador. Aos 16 minutos, Bruno Fernandes isolou Gelson Martins, que rematou cruzado para o 2-1. Segunda assistência da partida para o médio português e segundo golo dos “leões” em apenas três remates.

  • À meia-hora, o jogo continuava bastante equilibrado: a posse de bola encontrava-se igualmente distribuída, mas o Belenenses tinha maior eficácia na distribuição (82%-81%), mais remates (5-4) e mais pontapés de canto (2-1). Na equipa “azul” destacava-se Fredy, com dois passes para finalização, tantos quanto Bruno Fernandes.
  • A cinco minutos do intervalo, Acuña fez o 3-1, aproveitando um mau corte da defesa adversária, após cruzamento de Ristovski. O Sporting já estava em vantagem em número de remates (8-6), sendo que só um dos seus remates enquadrados não resultara em golo.

  • Intervalo Eficácia quase máxima da equipa do Sporting, que rematou quatro vezes à baliza e fez três golos. Apesar da vantagem considerável para os “leões”, o Belenenses até tinha sido superior em diversas vertentes do jogo, chegando ao intervalo com mais posse, bolas colocadas na área adversária e eficácia na distribuição. Sem surpresas, Bruno Fernandes liderava os GoalPoint Ratings no intervalo 6.3, graças em grande parte às duas assistências, a que somava uma falta sofrida em zona de perigo, quatro bolas colocadas na área contrária, 28 acções com bola e três remates, embora nenhum enquadrado. Na equipa belenense a figura era Yebda 5.2 que, para além de ter marcado um golo, era o jogador com mais passes (29, 22 dos quais certos) e recuperações de bola (cinco).

  • A segunda parte arrancou de forma bastante lenta, com apenas um remate, e desenquadrado, nos primeiros 15 minutos. E para surpresa de muitos, era o Belenenses que estava por cima. Os “azuis” do Restelo tinham mais posse (63%-37%), mais passes (123-75) e maior eficácia na distribuição (84%-77%). Era o prenúncio do que estava para vir.
  • Em apenas cinco minutos, o Belenenses deu a volta ao texto. Aos 65 minutos, Licá reduziu para 2-3, após uma excelente combinação no corredor esquerdo entre Fredy e Florent. Pouco depois, o antigo jogador de Estoril e FC Porto foi derrubado por Acuña dentro da área quando tinha apenas Rui Patrício pela frente, com Fredy a rematar de forma certeira para restabelecer a igualdade.

  • Mas havia tempo para mais uma grande penalidade, desta vez para o Sporting, por falta de Yebda sobre Bas Dost, com o argelino a ver o segundo amarelo. Com Bas Dost a receber assistência fora das quatro linhas, foi a Bruno Fernandes quem coube as honras, e o médio português não desperdiçou, fazendo o golo no seu primeiro remate enquadrado, após cinco disparos sem sucesso.
  • A cinco minutos do final da partida, Wendel dava nas vistas pela precisão no passe. O médio brasileiro somava 22 entregas, todas elas certas, a que somava ainda três duelos ganhos em sete disputados, duas acções defensivas e outras tantas recuperações de posse.

O Homem do Jogo 👑

Bruno Fernandes fica com inteira justiça ligado à história deste jogo, ao ter mão directa em três dos quatro golos do Sporting. O médio do Sporting criou duas ocasiões flagrantes, que resultaram em golos para a sua equipa, e ainda marcou de grande penalidade, aproveitando a ausência temporária de Bas Dost, que recebia assistência. Para além disso, sofreu uma falta em zona de perigo e foi o jogador leonino que mais bolas colocou na área contrária, seis. No entanto, importa salientar que nem tudo foi positivo na exibição do camisola 8 sportinguista. O médio português precisou de seis remates para conseguir um disparo à baliza (e de grande penalidade), perdeu a posse 16 vezes, não foi feliz em nenhum dos três dribles que tentou executar, foi desarmado duas vezes e controlou mal a bola em outras tantas situações. Isto ajuda a explicar o motivo por que Bruno Fernandes, apesar de ser o homem do jogo nos  GoalPoint Ratings, terminou a partida com nota 6.8.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Fredy 6.3 – Teve a nota mais alta na equipa belenense. Para além do golo que marcou, de grande penalidade, somou três passes para finalização, 53 passes certos e 80 toques. Venceu oito duelos e sofreu cinco faltas, duas delas em zona de perigo.
  • Dost 5.5 – Marcou o primeiro golo da sua equipa no único remate que fez na partida e sofreu uma grande penalidade. Acertou apenas 62% dos passes que fez e esteve discreto nos duelos aéreos, vencendo três de oito disputas nas alturas.
  • Fábio Coentrão 5.2 – Saiu ao intervalo após uma primeira parte em que fez um cruzamento eficaz, falhou apenas três passes em 21, perdeu um duelo em três e ainda contabilizou três acções defensivas.
  • Bryan Ruiz 4.6 – Noite discreta do costa-riquenho. Não rematou nem fez nenhum passe para finalização, cometeu três faltas e venceu apenas quatro dos nove duelos em que esteve envolvido.
  • Yebda 4.3 – “Borrou” a pintura após uma primeira parte de grande nível, em que marcou um golo. Cometeu três faltas, uma delas para grande penalidade, acabando expulso por duplo amarelo. Na retina, para além do golo, ficaram seis duelos ganhos, nove recuperações de bola e três alívios.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner