O Benfica perdeu na Luz por 1-2 frente ao Atlético de Madrid falhando a hipótese de terminar a fase da Liga dos Campeões no primeiro posto do grupo, tendo agora que preparar-se para se cruzar com um “tubarão” da prova. A águia ainda reagiu a partir dos 75 minutos mas era tarde para dar a volta a um resultado que premeia o maior domínio “atleti” durante grande parte do encontro.

UCL 2015/16 - Fase de Grupos - J5 - Benfica vs Atlético Madrid - MoM - Ratings
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O figurino escolhido por Rui Vitória (4-2-3-1) não resultou, com excepção da dupla Fejsa e Renato, jogadores que estiveram sempre alguns furos acima dos demais, juntamente com Pizzi e Lisandro e foi após lançar Mitroglou e Jiménez que o Benfica reagiu (com Gaitán muito apagado durante todo o encontro). Vitória levará certamente lições deste jogo mas leva também, cada vez mais, um “bom problema” para resolver chamado Renato Sanches.

Renato, o puto dos números anormais

Sendo cedo para entusiasmos excessivos (e nocivos) a verdade é que o “puto” Renato Sanches voltou a responder à chamada apresentando um registo anormal até para jogadores experientes, quanto mais para um menino de 18 anos. A infografia “Man of the Match” fala por si, sobretudo para quem já está mais familiarizado com as “escalas”. Ominepresente, atrevido e abnegado, Renato apenas parece deixar uma de duas dúvidas: até quando ou… até onde Renato?

Destaque também para os já referidos Fejsa, Lisandro e Pizzi, com Mitroglou a registar grande entrada no jogo. No lado dos “Atletis” as surpresas são poucas, a não ser para quem não conheça ainda o jovem Ñíguez, que demonstrou a todos os presentes o porquê de sentar Óliver Torres mesmo na ausência de Tiago, bem como Luciano Vietto, que analisámos há alguns meses. Os espanhóis foram iguais a si próprios e demonstraram francas melhorias face à versão que recebeu o Benfica no jogo em Madrid, seguindo assim (apesar de tudo) com justiça no primeiro lugar do grupo, rumo à fase a eliminar.

Nota: Os GoalPoint Ratings resultam de um algoritmo proprietário desenvolvido pela GoalPoint que pondera exclusivamente o desempenho estatístico dos jogadores ao longo da partida, sem intervenção humana. Clique para saber mais.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: O JOGO COMO O VIMOS