TRIDENTE IMPARÁVEL

O segundo tempo não começou bem para o Benfica, que manteve uma boa posse de bola nos primeiros minutos (73% aos 60), mas esteve muito tempo sem rematar à baliza. Porém, os ataques do Paços eram incipientes e aos poucos Gaitán começou a abrir o livro do lado esquerdo, por onde as “águias” atacaram maioritariamente no segundo tempo. Em mais uma investida do argentino pelo flanco, este descobriu Gonçalo Guedes na grande área, aos 67 minutos, e o jovem de 18 anos estreou-se a marcar pelo Benfica na Liga NOS.

Liga NOS 2015/16: Benfica vs Paços de Ferreira, Jornada 6 - 2 Tempo
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Se estranhou o facto de Jonas não ter estado envolvido no lance, não se preocupe. Logo a seguir, aos 73 minutos, o brasileiro fez o 3-0, desta feita a passe de Guedes. O tridente composto por Gaitán, Jonas e Gonçalo Guedes desbaratou a defesa pacense na segunda parte e foi com naturalidade que o resultado foi sendo construído. Se no primeiro tempo os visitantes ainda incomodaram, na segunda metade o Benfica corrigiu posicionamentos defensivos e anulou o seu adversário, pelo que os números finais não espantam. Três golos, fruto de 69,4% de posse, 17 remates, seis deles enquadrados e 13 realizados de dentro da área contrário – demonstrativo da facilidade com que o Benfica entrou no último reduto dos “castores” -, 11 cantos contra três e 14 passes para ocasião.

JONAS E OS DOIS MOSQUETEIROS

Já começam a faltar adjectivos para descrever Jonas. O brasileiro leva já sete golos em cinco jogos, tendo bisado frente ao Paços. Mas não foram só os golos. Foi fundamental entre as linhas pacenses, a distribuir jogo (4 passes para ocasião) e a posicionar-se para receber a bola para os contra-ataques rápidos. E rematou seis vezes, três enquadradas.

Nico Gaitán vai já em cinco assistências na Liga e nesta partida realizou oito cruzamentos, quatro deles eficazes, para além de seis passes para ocasião e 63,6% de duelos ganhos. Depois houve Gonçalo Guedes, que fez um golo em quatro disparos, duas assistências e três passes para ocasião. E uma palavra para Jardel, que realizou mais uma exibição de grande nível, com 13 acções defensivas importantes e 103 toques na bola. Nos visitantes o destaque vai para o guardião Marafona, que apesar da “conta” pesada somou ainda três defesas e algumas intervenções importantes.