[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”GoalPoint Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Benfica-Belenenses-LIGA-NOS-201617-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”Melhor em Campo ” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Benfica-Belenenses-LIGA-NOS-201617-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”45m” tab_id=”1465571624614-ba177b16-4154″]
GoalPoint-Benfica-Belenenses-LIGA-NOS-201617-45m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”90m” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Benfica-Belenenses-LIGA-NOS-201617-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O Benfica regressou à liderança da Liga NOS com resultado “gordo”, a fazer esquecer o desaire europeu de Dortmund. A formação “encarnada”recebeu e venceu o Belenenses por 4-0, fazendo-se valer da eficácia na concretização na segunda parte, isto após ter rematado mais na primeira e consentido 12 disparos dos visitantes na etapa complementar. André Almeida, Mitroglou, Salvio e Jonas fizeram os golos.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Entrada forte do Benfica, com muita pressão a empurrar o Belenenses para junto da sua grande área. Nos primeiros dez minutos as “águias” registavam 77% de posse, três remates (desenquadrados) e sete cruzamentos. Até que, aos 12, André Almeida isolou-se e fez o seu primeiro golo de sempre na Liga NOS com a camisola do Benfica, aproveitando um deslize defensivo de Miguel Rosa.

  • Formação do Restelo com dificuldades em reagir, mantendo-se a toada de jogo. Aos 25 minutos o Benfica tinha 76% de posse, cinco remates, um apenas à baliza, e o Belenenses nenhum. Diga-se, porém, que os “encarnados” registavam somente dois passes para ocasião, por Pizzi e André Almeida.
  • À meia-hora André Almeida era, curiosamente, o jogador que carregava o Benfica em termos ofensivos: marcou o golo, fez um dos dois passes para ocasião, era, a par de Pizzi, o jogador que mais vezes colocara a bola na grande área contrária e era o homem em campo com mais cruzamentos (5), e eficazes (2). Primeiro remate forasteiro apenas aos 37 minutos.

  • Intervalo Superioridade total do Benfica, que chegou ao descanso na frente, graças a nove remates, dois enquadrados, 71% de posse, 87% de passes certos (368) e 12 cruzamentos de bola corrida. André Almeida, o melhor em campo até esta fase, com um GoalPoint Rating de 6.9, fez metade desses cruzamentos, tendo sucesso em três. O lateral, que jogou devido à lesão de última hora de Nélson Semedo, fez o golo da sua equipa, dois passes para ocasião e colocou a bola oito vezes na área contrária. É obra! Uma palavra para Pizzi, com 6.4 e 72 toques na bola em apenas 45 minutos.
  • Reacção do Belenenses logo após o reatamento, com 59% de posse de bola, dois remates, um deles enquadrado e outro ao poste, por Miguel Rosa, aos 51 minutos. Mas na resposta, Kostas Mitroglou (52′) levantou o estádio com um grande remate, colocado, de fora da área, para o 2-0, o seu 14º golo nesta Liga NOS.

  • Salvio fez, à hora de jogo, o 3-0, com um excelente remate de fora da área. O encontro estava praticamente decidido, com o Benfica a marcar dois golos quando o Belenenses tentava reagir. Após o 3-0 as duas formações registavam quatro remates cada no segundo tempo, 3-2 em enquadrados. No total o Belém somava quatro remates de fora da área (o Benfica sete), em cinco tentativas, o que explica o menor aproveitamento.
  • Samaris também em destaque por volta dos 70 minutos, ele que acertara 75 de 80 passes, recuperara nove vezes a bola, ganhara oito de 11 duelos e somara cinco desarmes.
  • A verdade é que, a cinco minutos do fim, o Belenenses somava 11 remates, sendo dez deles fruto da exibição mais conseguida na segunda parte. Os três enquadrados aconteceram também no segundo tempo – o Benfica registava seis na etapa complementar, quatro à baliza.

  • A fechar, o 4-0, de Jonas, que regressou aos golos já nos descontos, após assistência de Mitroglou.

O Homem do Jogo 👑

Não marcou nenhum golo, nem sequer fez qualquer assistência. Mas a sua influência no futebol benfiquista está sempre presente. Pizzi foi o melhor nesta partida (por pouco, diga-se), com um GoalPoint Rating de 7.3, mercê de uma exibição consistente, na qual todo o jogo da equipa passou por si. Fez vários passes de ruptura (oito longos certos), dois para ocasião, rematou duas vezes (enquadradas), tocou 111 vezes na bola e realizou quatro desarmes e duas intercepções. Pendular.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Salvio 7.1 – O segundo melhor da noite. Fez um golo em quatro remates, uma assistência e teve sucesso em dois de quatro dribles. Não foi explosivo, mas decidiu quase sempre bem.
  • Samaris 6.9 – Esteve muito em jogo. Ofensivamente inexistente, garantiu o equilíbrio defensivo que a equipa precisava. Tocou 117 vezes na bola, acertou 93% dos seus passes, ganhou nove de 12 duelos, fez 11 recuperações de bola, cinco desarmes e três intercepções.
  • André Almeida 6.7 – Nunca tinha marcado pelo Benfica na Liga, mas fê-lo ante o Belenenses, sua antiga equipa (não festejou). Esteve muito bem a atacar, com três passes para ocasião, seis tentativas de drible com três eficazes e colocou a bola dez vezes na área contrária.
  • D. Duarte 6.6 – O melhor do Belenenses. A pressão do Benfica foi intensa, o que deu aos centrais dos “azuis” muito trabalho, e Duarte não desiludiu, com dois desarmes, seis intercepções e seis alívios.
  • Mitroglou 6.6 – Grande jogo do grego. Marcou um excelente golo, assistiu Jonas para o 4-0 e esteve muito bem na movimentação, pecando apenas nas três vezes em que caiu em fora-de-jogo.

Banner_UNICEF_GOAL_3

Resumo💻