[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” add_icon=”true” title=”Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″]
GoalPoint-Benfica-Estoril-LIGA-NOS-201718-Ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” add_icon=”true” title=”MVP” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″]
GoalPoint-Benfica-Estoril-LIGA-NOS-201718-MVP
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” add_icon=”true” title=”Stats” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″]
GoalPoint-Benfica-Estoril-LIGA-NOS-201718-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O Benfica recebeu e venceu o Estoril Praia por 3-1 em jogo da 14ª jornada da Liga NOS. Um triunfo ajustado, mais pelo domínio que a formação “encarnada” teve ao longo da partida em termos de posse de bola. Os campeões nacionais tiveram pela frente uma equipa “canarinha” atrevida e que sempre procurou o golo. No final, os visitantes remataram mais, e também com melhor eficácia, mas a “águia” foi letal na concretização, concluindo com êxito três dos quatro enquadrados que realizaram.

Resumo💻

O Jogo explicado em Números 📊

  • Excelente ocasião para o Benfica aos seis minutos, com Pizzi a roubar a bola ao guarda-redes Moreira, mas a rematar ao lado. O domínio benfiquista no arranque da partida era claro, com 70% de posse de bola nos primeiros dez minutos, mas o Estoril mostrava-se perigoso, com transições rápidas. Um remate para cada lado, ambos sem a melhor direcção.
  • Porém, foi precisamente numa transição rápida que o Benfica acabou por marcar, aos 13 minutos. Franco Cervi recuperou a bola, fugiu a grande velocidade pela esquerda e cruzou rasteiro, surgindo Eduardo Salvio ao segundo poste a encostar para o golo.

  • E o segundo surgiu aos 18 minutos, em novo contra-ataque, desta feita pela direita e conduzido por Salvio, que cruzou para Jonas encostar na grande área para o 2-0.
  • Por volta dos 20 minutos os “encarnados” tinham a partida bem encaminhada e com o domínio dos acontecimentos: 65% de posse, três remates, dois deles enquadrados e 64% de duelos ganhos.
  • Mesmo sem marcar, Franco Cervi destacava-se por volta da meia-hora, com um rating de 6.1, fruto de uma assistência (na primeira entrega que fez no jogo) em dois passes para finalização e o máximo de desarmes na partida, três, os mesmos que André Almeida.

  • Os “canarinhos” tentavam a reacção a espaços e, por volta dos 40 minutos, tinham três remates já realizados, dois enquadrados, sendo que uma correspondeu a uma extraordinária intervenção de Bruno Varela. E essa intenção acabou por dar frutos, com Kléber a reduzir, de cabeça, em cima do intervalo. Foi o primeiro golo da equipa da Linha desde a sexta jornada.

  • Intervalo Benfica dominador, com 64% de posse de bola, mas incapaz de evitar a reacção do Estoril. Após marcar dois golos, ambos em contra-ataques rápidos, as “águias” permitiram que os “canarinhos” crescessem e reduzissem a desvantagem. Por isso, os visitantes chegaram ao descanso apenas com um remate menos que os anfitriões (5-6), mas mais um enquadrado (3-2). O melhor em campo era Lucas Evangelista. O médio registava nesta altura um GoalPoint Rating de 6.6, graças a três remates, dois enquadrados, uma assistência e dois cruzamentos eficazes (em duas tentativas.

  • O segundo tempo começara como acabara o primeiro, com o Benfica a mandar, mas o Estoril a rematar e a criar perigo. Porém, aos 59 minutos, os “encarnados” chegaram ao terceiro golo, por Krovinovic, a concluir uma combinação que construiu com Cervi.
  • Pela hora de jogo, o Benfica registava 63% de posse desde o intervalo, três remates, um enquadrado. Os estorilistas dois disparos, um com boa direcção, e um total de cinco cantos, dois na etapa complementar, contra nenhum dos da Luz.
  • Cervi continuava a destacar-se no Benfica, com duas assistências em quatro passes para finalização e cinco desarmes. O extremo era o jogador em campo com o registo maior neste tipo de acções defensivas por volta dos 70 minutos.

  • Perto do final, o Estoril já perdera muito do atrevimento anterior, com o Benfica a controlar os acontecimentos: 64% de posse de bola no segundo tempo, três remates e um enquadrado (menos que os quatro disparos, dois com boa direcção, dos visitantes), 54% de duelos ganhos.

O Homem do Jogo 👑

Já começa a ser hábito. Lucas Evangelista teima em brilhar a cada jogo do Estoril, mesmo quando as coisas não correm bem à sua equipa, e foi o melhor em campo no Estádio da Luz, tal como havia sido no desaire em casa do Sporting, no Estádio José Alvalade. Esta é a quarta distinção de melhor em campo para o médio esta temporada, e os números não deixam margem para dúvida. O brasileiro realizou sete remates, três enquadrados, fez a assistência para o golo de Kléber, ganhou 12 de 18 duelos individuais, somou dez recuperações de bola e ainda cinco desarmes e cinco intercepções – GoalPoint Rating de 8.0.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Franco Cervi 7.3 – O melhor jogador do Benfica nesta noite. O argentino esteve em todo o lado, a atacar e a defender. Registou duas assistências em quatro passes para finalização e foi quem mais desarmes fez: sete.
  • André Almeida 6.8 – O lateral-direito continua a mostrar uma regularidade assinalável. O português teve sucesso nas duas tentativas de drible, ganhou os sete duelos aéreos que disputou e somou 12 acções defensivas.
  • Álex Grimaldo 6.8 – Bom jogo do espanhol. No ataque realizou dois passes para finalização, criou uma ocasião flagrante e teve sucesso nos três dribles que tentou. A defender recuperou sete vezes a posse de bola e registou oito acções defensivas.
  • Bruno Varela 6.4 – O guardião benfiquista teve muito trabalho, mas esteve em bom plano. Realizou cinco defesas, três delas a remates dentro da sua área, e evitou males menores para a sua equipa.
  • Kléber 6.3 – O ponta-de-lança marcou o primeiro golo do Estoril desde a sexta jornada. E fê-lo em três remates, dois enquadrados. Disputou ainda oito duelos aéreos, vencendo três.

GoalPoint-T-shirts-2017-banner