Benfica 🆚 Portimonense | Dia de Portugal, no Futsal e na Luz 💥

-

Grande surpresa no Estádio da Luz. O Benfica, líder invicto e 100% vitorioso na Liga, acabado de golear o Barcelona, perdeu em casa com o Portimonense por 1-0. O guardião dos algarvios. Samuel Portugal, foi a grande figura do desafio, com uma exibição espectacular, em particular na primeira parte. O Benfica continuou a criar ocasiões na segunda etapa Lucas Possignolo aproveitou uma das raras subidas algarvias e fez, de cabeça, o golo decisivo, naquela que foi também a primeira vitória do Portimonense no terreno de um dos “três grandes”.

GoalPoint-Benfica-Portimonense-Liga-Bwin-202122-Ratings
Clique para ampliar

Samuel estraga planos da “águia”

Incrível primeira parte na Luz, pela quantidade de ocasiões criadas pelo Benfica e pela exibição de Samuel Portugal na baliza do Portimonense. Os “encarnados” atacaram muito, remataram 12 vezes, seis enquadradas, e o guardião brasileiro parou tudo, o equivalente a dois golos “feitos”. Cinco dessas seis defesas aconteceram a remates já na grande área, e a menos de oito metros, pelo que Samuel chegou ao descanso como MVP destacado, com um rating extraordinário de 8.7. Esta a história dos primeiros 45 minutos, que viram um Benfica com grande facilidade em entrar na área contrária (15 acções).

Na etapa complementar o Benfica continuou a mandar no jogo, a atacar, a criar ocasiões, mas a finalização era má, ou então os algarvios – Fali Candé cortou, em cima da linha, um golo quase feito de Otamendi – foram evitando o tento da formação da casa, dando a ideia de que, nem que estivessem duas horas a jogar, os comandados de Jorge Jesus não conseguiriam facturar. E não marcaram mesmo, ficando agora o Benfica com apenas um ponto de vantagem sobre Porto e Sporting.

[ Benfica “em cima do Portimonense, com destaque para a ligação João Mário-Rafa Silva ]

GoalPoint-Benfica-Portimonense-Liga-Bwin-202122-pass-network
Clique para ampliar

O MVP GoalPoint👑

Que primeira parte! Uma exibição estrondosa de Samuel Portugal nos primeiros 45 minutos evitou que o Benfica marcasse, apesar das muitas ocasiões criadas. No segundo tempo o mérito vai para o colectivo algarvio, pois nesta fase, o brasileiro não fez qualquer intervenção. Todavia, a missão estava cumprida e ao guarda-redes do Portimonense já ninguém tirava a distinção de MVP, com um GoalPoint Rating de 8.6. Foram seis defesas, cinco a remates na sua grande área e a menos de oito metros.

Outros  Ratings 🔺🔻

Destaques do Benfica

Álex Grimaldo 7.3 – Um catalisador de futebol de ataque pela esquerda. O lateral foi o melhor do Benfica nesta partida, terminando o jogo com o número máximo de remates (seis, quatro de fora da área), dois enquadrados, uma ocasião flagrante criada e cinco cruzamentos. Mas na área não teve a correspondência por parte dos atacantes benfiquistas.

Jan Vertonghen 7.1 – Jogo sólido do belga, em especial pelo ar, tendo ganho os cinco duelos aéreos defensivos em que participou. Somou ainda três desarmes e outras tantas intercepções, brilhando também no passe, com nove aproximativos, máximo do encontro.

Nicolás Otamendi 7.1 – O Benfica atacou o jogo todo, mas a falta de eficácia explica o facto de os três melhores ratings das “águias” pertencerem a defesas. Mesmo eles atacaram muito, como Otamendi, que terminou com quatro remates, dois enquadrados, e viu Fali Candé afastar em cima da linha de golo um seu remate. O argentino foi o terceiro benfiquista com mais acções na área contrária (7) e ganhou sete de oito duelos aéreos.

Rafa Silva 6.6 – O extremo merecia mais, pois correu quilómetros e terminou com números muito bons, mas com um rating menos exuberante devido a uma ocasião flagrante desperdiçada (grande defesa de Samuel). Rafa somou incríveis 17 acções com bola na área contrária, mais nove que o segundo valor mais alto, completou sete de 12 tentativas de drible, fez cinco conduções aproximativas e três super aproximativas. Mas há mais: recebeu 11 passes aproximativos, criou uma ocasião flagrante em três passes para finalização, teve êxito em três de seis cruzamentos e fez 13 passes ofensivos valiosos, mais sete que o segundo mais alto.

Gil Dias 6.6 – Entrou para a segunda parte, ocupando a lateral-direita, e abanou com o jogo, através de diversas arrancadas de grande qualidade. Faltou o último passe, mas os seus números mostram seis passes ofensivos valiosos, sete dribles eficazes em dez e sete conduções aproximativas.

João Mário 6.2 – Notou-se, na velocidade das suas movimentações, algum desgaste natural, mas voltou a estar em bom plano. Foram sete os passes para finalização, máximo do jogo, tendo completado ainda dois de quatro cruzamentos.

Lucas Veríssimo 5.8 – Jogo mais discreto do brasileiro, que ainda assim esteve perto de marcar. Na retaguarda o destaque vai para três intercepções.

Roman Yaremchuk 5.7 – O ucraniano esteve “emparedado” pela defesa do Portimonense, mostrando-se apenas quando conseguiu actuar em espaços menos congestionados. Excelente o passe para ocasião flagrante desperdiçada por Rafa, mas o próprio ponta-de-lança falhou uma.

Julian Weigl 5.7 – Com menos trabalho à frente da defesa benfiquista, o seu trabalho esvaziou-se um pouco. Ainda assim completou todos os 33 passes que realizou e fez quatro recuperações de posse.

Gilberto 5.7 – O brasileiro fez apenas a primeira parte, saindo ao intervalo para a entrada de um Gil Dias mais afirmativo no ataque. O brasileiro fez três passes ofensivos valiosos e outras tantas acções defensivas no meio-campo contrário.

Darwin Núñez 4.6 – Após o brilharete contra o Barcelona, o jovem atacante esteve desinspirado ante os algarvios, apesar de se ter entregado à luta sem constrangimentos. Aos dois passes para finalização juntou oito acções com bola na área contrária e 12 passes aproximativos recebidos, mas a flagrantes perdida acabou por atirá-lo para a cauda dos ratings.

Destaques do Portimonense

Pedro Sá 7.2 – Enorme jogo do médio em termos defensivos. Pedro Sá ganhou os quatro duelos aéreos que disputou e somou 17 acções defensivas, com destaque absoluto para oito desarmes.

Pedrão 6.9 – O central esteve intratável, com 14 acções defensivas, nomeadamente oito intercepções, que foram fundamentais para travar o último passe “encarnado”.

Lucas Possignolo 6.5 – O central brasileiro decidiu a partida, tendo sido ele o autor do golo, o único na Luz. Na retaguarda fez três intercepções e cinco alívios.

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com 19 anos de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.