Benfica 🆚 Sporting | “Águia” descola nas asas de Ederson

-

[vc_tta_tabs][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-line-chart” title=”GoalPoint Ratings” tab_id=”1465571624475-01e55dfc-58e2″ add_icon=”true”]
goalpoint-benfica-sporting-liga-nos-201617-ratings
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_position=”right” i_icon_fontawesome=”fa fa-trophy” title=”Melhor em Campo ” tab_id=”1465571693503-4a0f9bf6-e654″ add_icon=”true”]
goalpoint-benfica-sporting-liga-nos-201617-mvp
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” title=”45m” tab_id=”1465571624614-ba177b16-4154″ add_icon=”true”]
goalpoint-benfica-sporting-liga-nos-201617-45m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-futbol-o” title=”90m” tab_id=”1465571672809-6f7d6717-7b04″ add_icon=”true”]
goalpoint-benfica-sporting-liga-nos-201617-90m
Clique para ampliar
[/vc_tta_section][/vc_tta_tabs]

O Benfica voltou a repor em cinco os pontos de vantagem no topo em relação ao Sporting, que caiu para o terceiro lugar, com um ponto a menos que o FC Porto. As “águias” bem podem agradecer à eficácia de concretização e ao seu guarda-redes, Ederson, pelos três pontos somados no derby ante os “leões”, graças ao 2-1 final. Eduardo Salvio e Raúl Jiménez marcaram para os “encarnados”, Bas Dost para os de Alvalade.

O Jogo explicado em Números 📊

  • Primeiros dez minutos com um Sporting aparentemente mais tranquilo e dono do remate inaugural do jogo (e enquadrado), para além de 51% de posse. Porém, os jogadores do Benfica mostravam-se mais fortes nos duelos individuais, com nove ganhos em dez.
  • Benfica fez o primeiro remate aos 12 minutos, por Rafa, que surgiu solto na esquerda, mas Rui Patrício amarrou. “Leões” com defesa muito subida a tirar espaços aos da casa, mas a exporem-se a passes para as suas costas.
  • Mais Sporting nos primeiros 25 minutos, altura em que somava seis remates, três enquadrados, contra um do Benfica, mas num rápido lance de contra-ataque, Rafa aproveitou o espaço na esquerda e, de “trivela”, assistiu Eduardo Salvio para o 1-0.

  • Tacticamente um jogo muito interessante. Ambas as formações conseguiam, à meia-hora, registar todos os seus remates de dentro das duas áreas. E os “leões” somavam já cinco passes para ocasião, contra dois do Benfica. Em termos individuais, Adrien Silva tinha acertado todos os 14 passes e Ederson registava três defesas.
  • Aos 44 minutos o Benfica fez o seu quarto remate (terceiro enquadrado), num erro leonino que isolou Raúl Jiménez, mas Rui Patrício negou um golo feito ao mexicano, que perdeu assim uma grande ocasião para marcar.
  • Intervalo O Benfica chegou ao descanso na frente, apesar de não ter dominado o jogo em termos de posse de bola (48%), nem em remates (sete para o Sporting, quatro para as “águias”, os mesmos três enquadrados), mas esteve superior nos duelos individuais (60%) e foi mais eficaz na concretização. Realce para o facto de os 11 disparos nesta fase terem acontecido todos dentro das grandes áreas e de o Benfica ter feito apenas duas faltas, para 12 dos “leões”. Três benfiquistas na liderança do GoalPoint Rating intercalar, Ederson na frente, com 6.6 graças às três defesas realizadas, duas com as mãos, uma com os pés. Segurança partilhada com Luisão (terceiro), com 5.8, e acompanhada pela eficácia de Salvio, que somava 6.2. Gelson (4.8), perigoso, não esteve inspirado, pois falhou as seis tentativas de drible.

  • Grande arranque de segundo tempo! Ocasião para o Sporting no arranque, com Joel Campbell a cruzar atrasado e Bas Dost a rematar forte ao ferro… mas na resposta o Benfica ampliou para 2-0, golo de Raúl Jiménez de cabeça, assistência de Nélson Semedo.
  • No entanto, Ederson continuou a brilhar e, à hora de jogo, o guarda-redes realizou espectacular defesa a remate de William Carvalho. E logo a seguir negou o golo a Bas Dost. O Sporting pressionava bastante nesta fase e registava seis remates no segundo tempo, para um do Benfica, e 56% de posse.
  • A dupla que criou aquele lance de perigo no reatamento voltou a fazer das suas, desta feita com Bas Dost (69′) a marcar mesmo, de cabeça, assistência de Campbell. Um golo que se estava a adivinhar.
  • Aos 75 minutos o Benfica ainda somava um só remate no segundo tempo (o do golo) e parcos 42% de posse de bola, tendência que se agravou após a entrada de Danilo para o lugar de Salvio, numa tentativa de segurar a vantagem. Ao invés, William Carvalho tinha já 11 recuperações de bola e 64 toques, o máximo de todo o jogo.
  • Últimos minutos menos esclarecidos de parte a parte, mas números totais a mostrarem um Sporting superior nos principais indicadores, como posse de bola (58%), remates (14 contra seis do Benfica por volta dos 85 minutos), e uma diferença pouco usual nas faltas cometidas, com 25 dos “leões”, nove das “águias”. Mas os benfiquistas lá aguentaram a vantagem, apesar de dar a ideia de que o empate iria surgir a qualquer momento.

O Homem do Jogo 👑

Brasileiro salvador das “águias”. Ederson foi o melhor em campo no derby da Luz, pois foi o bastião da equipa de Rui Vitória quando esta não conseguia travar o seu adversário. Os números finais mostram um Sporting superior, mas Ederson esteve à altura, com um GoalPoint Rating de 7.0, mercê de um punhado de grandes intervenções. No total, cinco defesas, algumas decisivas, à totalidade de remates de dentro da grande área, e ainda fez três recolhas.

Jogadores em foco 🔺🔻 

  • Nélson Semedo 6.9 – Fugiu à mediania dos benfiquistas em termos individuais com mais uma exibição de garra defensiva e acutilância atacante. Fez a assistência para o 2-0, num de dois cruzamentos eficazes, e foi o jogador que fez mais desarmes (sete) e alívios (oito).
  • M. Zeegelaar 6.7 – Foi o melhor dos “leões”. Não conseguiu evitar o golo de Salvio, mas dificultou muito a vida ao argentino, que saiu em dificuldades físicas. Foi o único em campo a rematar de fora da área, fez cinco desarmes e duas intercepções e ganhou oito de 14 duelos.
  • Adrien Silva 6.0 – A meio da primeira parte ainda não tinha falhado qualquer passe, mas foi perdendo clarividência e terminou com somente 81% de passes certos, algo abaixo do que o médio nos tem habituado. Perdeu ainda 16 vezes a posse e foi cinco vezes desarmado… respondeu com cinco desarmes.
  • William Carvalho 5.7 – Não teve o melhor dos ratings, mas foi fundamental no posicionamento, para empurrar o Benfica na segunda parte. Acertou três de quatro tentativas de drible (!), foi quem mais tocou na bola (76), ganhou nove de 13 duelos e recuperou 11 vezes a bola.
  • Raúl Jiménez 4.7 – Custa ver um rating tão baixo no mexicano. Marcou um golo, trabalhou muito em prol da equipa, foi um quebra-cabeças para a defensiva leonina, enquadrou os seus dois remates. Mas as 21 perdas de posse e a ocasião flagrante falhada frente a Rui Patrício deixaram marca.

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com 19 anos de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR