No “clássico” de sexta-feira no Estádio da Luz é impossível não olhar para as duas balizas. Nas extremidades do relvado vão estar dois dos mais importantes nomes dos últimos anos do futebol mundial no que às luvas diz respeito. Júlio César, internacional brasileiro do SL Benfica, e Iker Casillas, lenda das balizas de Espanha e Real Madrid, hoje no FC Porto, vão estar frente-a-frente.

Brasileiro seguro

Em Portugal não é habitual ter dois nomes deste calibre, antigos vencedores da Liga dos Campeões, a disputar o campeonato. Se à quinta jornada, altura do anterior “clássico”, era cedo ainda para aquilatar do peso que cada um tinha nos resultados das respectivas equipas, nesta fase, à 21ª jornada, tal já é possível de ser feito.

Benfica vs Porto | Que “lenda” mantém a baliza mais segura?
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Os números são estes, objectivos e o reflexo da época de cada um, certamente condicionados pela própria performance das equipas. E parece claro que Júlio César tem tido uma temporada mais positiva, em diversos parâmetros. O brasileiro apresenta uma eficácia de defesa de remates enquadrados de 75%, para 70% do espanhol, e até num aspecto em que Casillas é, comprovadamente, e ainda, um dos melhores do Mundo, a saída aos pés dos adversários, Júlio César impera, com sucesso na totalidade das 23 ocasiões em que saiu dos postes (Casillas 94%). Mas há mais.

Espanhol com falhas mas com… bónus

José Mourinho, nos tempos do real Madrid, queixava-se que Casillas não lhe dava tantas garantias nos lances pelo ar como Diego López, e no Porto parece que essa crítica faz sentido. Casillas já deixou a bola fugir das suas mãos quatro vezes (como aconteceu em Guimarães, por exemplo), contra nenhuma de Júlio César. O brasileiro conta com dez lances em que socou a bola, nove em que a segurou e 17 em que a afastou de outras formas. Casillas não chegou ainda a estes valores. E os 100% de duelos ganhos do benfiquista para 89% do portista também dão que pensar.

Quanto a erros que deram em golo há empate: um para cada lado (Júlio aos pés de Gutiérrez, Casillas a “oferecer” o golo a Bouba Saré), o que atenua os números de Iker, e no nosso GoalPoint Ratings, também aí Júlio (5.62) está melhor que Iker (5.45).

Mas nem tudo é cinzento no mundo de Casillas. O espanhol defendeu o único pontapé de grande penalidade que defrontou (o Benfica ainda não enfrentou nenhum lance deste género) e regista ainda um “bónus” atípico num guarda-redes, ao somar já uma assistência para golo nesta Liga, obtido por Aboubakar na visita ao Estoril.

São estes os números até agora dos dois jogadores, mas tal como os prognósticos para “clássicos” e derbies, estes são números apenas indicativos, que marcam uma tendência. Nestes jogos nem tudo é o que parece e Iker já mostrou grande força mental quando os jogos são mais a doer.