Dezembro traz-nos um “onze” ideal bastante heterogéneo e até, se quisermos, surpreendente. Ao todo são sete os clubes representados nos 11 lugares disponíveis, sendo que há seis estreantes nestas andanças e apenas dois (Ricardo Pereira, melhor de Outubro/Novembro, e João Novais) repetem a presença da última eleição. Vamos então aos escolhidos.

GoalPoint-onze-do-mes-Dezembro-Liga-NOS-201718-Infog
Clique para ampliar
  • António Filipe (Chaves) 6.46 – O guardião do Chaves tem sido peça absolutamente fundamental na recuperação da equipa. Nos últimos três jogos, em que os flavienses não registaram qualquer derrota, António Filipe sofreu apenas um golo e somou 14 defesas, o que dá uma brilhante percentagem de 93% de remates enquadrados defendidos. É o segundo guarda-redes do Chaves a marcar lugar em “onzes” do mês.
  • Ricardo Pereira (Porto) 6.80 – Após ter sido o melhor dos últimos dois meses, Ricardo Pereira volta a repetir a presença neste lote. A actuar tanto a lateral como a extremo, Ricardo ficou no “top 10” de dribles eficazes (2,6 / 90m) e registou ainda 3,2 desarmes por jogo, sem que tenha sido driblado uma única vez.
  • Dráusio (Marítimo) 6.62 – Depois de Pablo Santos em Agosto, o Marítimo volta a colocar mais um dos seus centrais nos melhores do mês, o que vem confirmar o que escrevemos há pouco tempo sobre os insulares. Recrutado na terceira divisão italiana, Dráusio brilhou ao marcar e ao ser o melhor em campo em Moreira de Cónegos, mas além disso ainda foi o central com mais desarmes (três por jogo) e bloqueios de remate (dois por partida) neste período.
  • Rafik Halliche (Estoril) 6.34 – O argelino tem sido um dos rostos da boa recuperação do Estoril. O homem descoberto há uns anos pelo Benfica na Argélia, e que disputou os últimos dois Campeonato do Mundo, foi resgatado pelo Estoril na Segunda Divisão do Catar e está de regresso à boa forma. Em Dezembro foi um de dois centrais que não perderam nenhum duelo aéreo defensivo na Liga NOS e ficou ainda no “top 5” dos que mais passes interceptaram (3,3 / 90m).
  • Alex Telles (Porto) 6.88 – É um dos quatro jogadores que somam três presenças em quatro possíveis nestes “onzes”. Para não variar, somou mais duas assistências em Dezembro e foi líder no ranking de passes para finalização (3,7 / 90m), apesar de ser lateral. Defensivamente esteve sólido, com dois desarmes e duas intercepções a cada jogo.
  • Lucas Evangelista (Estoril) 7.59 – Um mês em grande para o jovem brasileiro do Estoril. Mesmo com uma deslocação ao Estádio da Luz, foi o melhor de Dezembro e ainda recebeu uma honra que coube a poucos até agora, a de ser considerado Moneyball Player GoalPoint.
  • João Novais (Rio Ave) 7.21 – Foi o terceiro melhor jogador de Dezembro, já após ter feito parte dos eleitos em Outubro/Novembro. João Novais marcou mais dois golos e já é o líder da Liga NOS em disparos certeiros de fora da área, mas as suas acções não se resumem a isso. Ficou no “top 5” de jogadores com mais passes para finalização de bola corrida (2,4 / 90m) e foi, juntamente com Lucas Evangelista, aquele que mais rematou (4,3 / 90m).
  • Pizzi (Benfica) 6.94 – Era uma questão de tempo até voltar a aparecer por aqui. A exibição contra o Tondela terá afastado definitivamente as conversas sobre a quebra de forma e Pizzi regressa assim ao que nos habituou na temporada passada. Dois golos, uma assistência, 92 acções com bola a cada 90 minutos, 100% de dribles eficazes e 7,4 recuperações de posse por jogo, são alguns dos números que tem para apresentar em Dezembro.
  • Bruno Fernandes (Sporting) 7.56 – Foi por um triz que não repetiu o prémio de melhor do mês, que já tinha conquistado em Agosto. Marcou um golo – o que não espanta tendo em conta que somou mais remates dentro da área (2,4 / 90m) que Bas Dost e enquadrou 86% dos mesmo -, somou uma assistência entre os 3,1 passes para finalização que fez a cada 90 minutos, e só foi superado por Brahimi nos dribles eficazes (4,2 / 90m). Está um senhor jogador.
  • Daniel Podence (Sporting) 6.98 – Finalmente teve uma sequência de três jogos como titular e não desapontou. As duas assistências que registou em apenas 185 minutos são consequência óbvia da facilidade com que cria ocasiões flagrantes (1,5 / 90m, melhor registo do mês) e passes para finalização de bola corrida (3,4 / 90m, também melhor registo do mês). Ainda teve eficácia em 38% dos seus cruzamentos e sofreu 2,4 faltas a cada jogo, só no último terço do terreno.
  • Vincent Aboubakar (Porto) 6.50 – Curiosamente é a primeira presença do camaronês por aqui. Com três golos e uma assistência, só na Liga NOS, Aboubakar teve um mês para recordar, no qual aproveitou todas as ocasiões flagrantes de que dispôs e enquadrou 67% dos remates que fez dentro da área.

Menções honrosas

Entre os melhores no mês de Dezembro, mas que por uma ou outra razão não couberam neste “onze”, estão estes craques.

  • Gonçalo Paciência (Vitória Setúbal) 7.24 – Está a atravessar provavelmente a melhor forma da sua carreira, desde que chegou à Liga NOS. Por estar emprestado, não pôde defrontar o Porto, ficando assim de fora deste “onze”, mas nos dois jogos em que jogou marcou um golo, somou quatro remates enquadrados, cinco dribles eficazes e ganhou 57% de duelos aéreos ofensivos.
  • Victor Andrade (Estoril) 6.91 – Recuperado de uma grave lesão, voltou à titularidade e tem sido dos mais importantes no Estoril de Ivo Vieira. Terminou o mês de Dezembro com 4,6 dribles eficazes e 3,6 faltas sofridas a cada 90 minutos, o que prova bem a sua capacidade desequilibradora, mas falhou o jogo com o Benfica.
  • Fábio Martins (Braga) 6.73 – Foi por um triz que não coube no lote de quatro médios. Um golo e duas assistências foram o seu pecúlio no último mês do ano, em apenas 205 minutos jogados.

GoalPoint-T-shirts-2017-bannerParabéns aos eleitos!

Nota metodológica: “Onze” elaborado tendo em conta o GoalPoint Rating médio de todos os jogadores que cumpriram um mínimo de 180 minutos jogados na Liga NOS em Dezembro