O namoro foi finalmente concretizado. Desejo antigo de Jorge Jesus desde os tempos do Benfica, Joel Campbell vai finalmente trabalhar com o técnico leonino.

O avançado costa-riquenho chega por empréstimo do Arsenal e vai também reencontrar Bryan Ruiz, seu compatriota e com quem fez uma grande dupla no Mundial 2014.

Muita rodagem europeia

Apesar de contar apenas 24 anos, Campbell já tem muita experiência de futebol europeu. Foi contratado pelo Arsenal ao Saprissa no Verão de 2011, tendo sido sucessivamente emprestado por Arsène Wenger. O Sporting será aliás o seu sexto clube no velho continente.

No entanto a época passada acabou por ser especial para Joel, visto ter sido a primeira que realizou por completo ao serviço do clube detentor do seu passe. Onze jogos a titular na Premier League num total de 887 minutos, renderam-lhe três golos e duas assistências, mas não foram o suficiente para convencer Wenger a mantê-lo na presente época.

A sua temporada mais produtiva em solo europeu aconteceu em 2013/14, ao serviço do Olympiakos, ano em que curiosamente se cruzou com Jorge Jesus na Champions League, apesar de não ter saído do banco em nenhum dos jogos. Nessa época apontou oito golos no campeonato grego e protagonizou um bom Mundial (Brasil 2014), “obrigando” Wenger a ficar com ele na primeira metade da época.

Avançado centro ou Extremo?

Como se percebe pela produção ofensiva de Campbell, o costa-riquenho não é propriamente um goleador, e apesar de na selecção actuar como o homem mais avançado, na sua carreira europeia tem actuando quase sempre como extremo-direito. Foi nessa posição que jogou toda a época passada no Arsenal, dados que analisamos de seguida.

Sporting CP | Joel Campbell, o desejo antigo
Clique para ampliar

Não sendo um jogador que abuse muito do remate, Joel Campbell apresenta, nesse particular, números dentro da média para um extremo. O facto de não ter tanto sucesso no enquadramento dos mesmos como Teo ou Gelson Martins, deve-se ao facto de o tentar mais vezes de fora da área, mas ainda assim os 37% são um registo positivo.

Tendo em conta o nível da Premier League e o pouco tempo de utilização que teve, pode-se dizer que na Liga NOS e utilizado com regularidade, pode ficar perto aos dois dígitos no que toca aos golos marcados.

Quanto à criação de oportunidades os números não são tão famosos, o que está ligado a algum excesso de individualismo do costa-riquenho. No entanto a sua eficácia de drible e mesmo o número de faltas que consegue conquistar (2,5 é um número bastante elevado para a Premier League), desculpam essa tendência menos positiva do costa-riquenho, que frequentemente tenta resolver os problemas soznho.

O outro ponto positivo de Joel Campbell é o trabalho defensivo, conseguindo mais de quatro acções defensivas por jogo a jogar no Arsenal, números que definitivamente o aproximam mais de Gelson Martins do que Teo Gutiérrez.

Reforço aprovado

Não sabemos que planos tem Jorge Jesus para Joel Campbell, mas pelas características que apresenta, o costa-riquenho parece encaixar mais no perfil de ala do que no de segundo avançado.

Rápido, poderoso e bom driblador, o costa-riquenho peca por algum excesso de individualismo e debilidades no cruzamento, mas parece-nos que em posições mais centrais e tendo em conta o típico de defesas que o Sporting tipicamente enfrenta, lhe faltaria algo que precisa ainda mais para melhor explanar o seu futebol: espaço.

No entanto o veredicto só pode ser positivo. Seja onde for que seja utilizado, Campbell é jogador para se destacar no campeonato português e, juntamente com Alan Ruiz, a melhor contratação do Sporting para esta temporada, de acordo com os numeros.

Confira outras análises aos principais reforços da Liga NOS 2016/17:

⚽ Alan Ruiz (Sporting CP)
⚽ Marcelo Meli
 (Sporting CP)
⚽ Franco Cervi (SL Benfica)
⚽ André Horta (SL Benfica)
⚽ Danilo Barbosa (SL Benfica)

⚽ Alex Telles (FC Porto)
⚽ 
Felipe (FC Porto)