O “onze” GoalPoint Ratings da Champions League 16/17 🏆

-

a grande final da Liga dos Campeões 16/17 joga-se já este sábado (19h45), opondo o “crónico” finalista Real Madrid ao “challenger” Juventus.

Enquanto esperamos para descobrir se os “blancos” irão erguer o seu 12º troféu (o quarto da carreira de Ronaldo) ou se a Juventus regressa aos tempos de glória europeia coma terceira taça da sua história, revisitamos o melhor “onze” GoalPoint Ratings de uma das competições que acompanhámos de forma integral pela, primeira vez, esta época.

Antes de apresentar o elenco, uma explicação: a selecção contempla apenas jogadores com pelo menos 700 minutos jogados na prova, o que explica (em parte, a outra descobrirá ao constatar o trio ofensivo que apurámos) a ausência de nomes que provavelmente esperaria encontrar, como o francês Mbappé, a grande revelação da competição e merecedora, aliás, de artigo recente no GoalPoint. Posto isto, eis o “onze”, repleto de nomes conhecidos, mas também com algumas surpresas:

GoalPoint-Ratings-XI-Pre-Final-Champions-League-201617-infog
Clique para ampliar

  • Kasper Schmeichel (Leicester) 6.11 – A época foi complicada para o Leicester mas atingir os quartos-de-final no ano de estreia na Champions acabou por ser um registo muito positivo para os “foxes”. O guarda-redes Schmeichel acabou por fazer jus à herança familiar, defendendo 85% dos remates que enfrentou (27), duas dessas defesas na sequência de grandes penalidades (registo partilhado com o benfiquista Ederson e com Caballero).
  • Felipe (Porto) 5.99 – O portista pode ter o rating menos vistoso do “onze”, mas o simples facto de um jogador oriundo da Liga NOS surgir no elenco já é digno de registo e justifica o interesse que o central desperta neste momento no mercado, encontrando paralelo no que fez na competição interna. O brasileiro somou 12 desarmes, 76 alívios e 16 intercepções, vencendo 50 duelos individuais nos 720 minutos que disputou. E apesar de não ter mostrado na prova o instinto goleador “caseiro”, ainda rematou cinco vezes.
  • Sérgio Ramos (Real Madrid) 6.03 – Capaz do melhor e do pior, Sergio Ramos é normalmente recordado sobretudo pelos seus golos de cabeça, que muitas vezes salvam o Real de apuros. Com a final por disputar, o central ainda só marcou um golo, mas não foi por falta de tentativas (11 remates), sendo que nesta edição até se destaca mais pelas… assistências (duas em quatro ocasiões criadas para os colegas). Defensivamente acumula 21 desarmes e 23 intercepções e, curiosamente, só soma oito faltas em 911 minutos. Nem parece dele.
  • Dani Alves (Juventus) 6.79 – A troca de Barcelona por Turim correu-lhe às mil maravilhas. A titularidade do lateral nem sempre foi um dado adquirido, mas Alves foi crescendo e mostrando serviço, sobretudo no que melhor sabe fazer: apoiar o ataque. Com a final ainda por jogar, o brasileiro acumula números de jogador mais avançado: três golos e quatro assistências, 13 remates e 30 passes para finalização. Mas a defender também não se poupou: totalizou 32 desarmes e ganhou 69 duelos individuais.
  • Escudero (Sevilha) 7.37 – Outro lateral que mostrou competência a atacar e a defender, com três golos e uma assistência e números defensivos semelhantes aos de Alves, embora com menos minutos (720): 30 desarmes, 23 intercepções e 68 duelos ganhos, e apenas dez faltas cometidas (o brasileiro soma 19).
  • Steven N’Zonzi (Sevilha) 6.38 – Competente sobretudo na protecção defensiva e a distribuir jogo para os colegas, o francês somou 934 passes certos, o que representa 91% das bolas que lhe saíram dos pés durante os 720 minutos que jogou, e ainda recuperou a posse em 77 ocasiões.
  • Thiago Alcântara (Bayern) 6.65 – Um habitué dos nossos “onzes” e rankings da Champions, fruto da enorme qualidade que coloca em tudo o que faz quando vê uma bola à frente. Somou 722 passes certos (92% dos que fez), 20 deles ocasiões para os colegas, três convertidas em golo. Em nove remates marcou dois golos, deixando a ideia de que devia tentar o gesto mais vezes.
  • Miralem Pjanic (Juventus) 6.39 – A Juventus sabia ao que ia quando o foi buscar e o bósnio correspondeu, em casa e na Europa. Na Champions somou, até à final, dois golos e outras tantas assistências, em 837 minutos, saídos de um total de 11 remates e 12 passes para finalização. O médio-centro leva uma eficácia de passe de 84% e recuperou a bola em 57 ocasiões.
  • Lionel Messi (Barcelona) 7.35 – Se o futebol fosse só estatística (e ainda bem que não é), o argentino não dava hipóteses nos prémios, por tudo o que faz para lá de marcar grandes golos. Este ano não foi excepção na Champions, e não terá sido por ele (e pelo colega de flanco, mas já lá iremos) que o Barça não chegou à final. Somou 11 golos em 38 remates (melhor marcador até ao momento) e duas assistências, completando 28 dribles (56% de eficácia) e 395 passes certeiros (85%). Ah e, acredite ou não… a “pulga” acumulou dez desarmes (Ronaldo leva três).
  • Cristiano Ronaldo (Real Madrid) 6.65 – O português está a um jogo da glória e ainda pode terminar como melhor marcador da prova, bastando-lhe para isso marcar dois golos e assim ultrapassar Messi. Sendo verdade que precisa rematar mais que o argentino para o acompanhar na tabela, o craque “blanco” dispara muito, e muito mais do que qualquer outro: 67 remates, dos quais 25 enquadrados. Pouco dado a dribles nos dias que correm (15 eficazes), o avançado brilhou nesta edição por algo que contraria a imagem individualista que por vezes lhe associam, as assistências (cinco, em 20 passes para finalização oferecidos aos colegas).
  • Neymar Jr. (Barcelona) 6.89 – Se Messi e Ronaldo se fazem notar pelos golos, já o brasileiro encerrou a participação nesta edição dando conta da sua “generosidade”. Ninguém ofereceu mais assistências do que Neymar nesta edição até agora (oito, em 26 passes para finalização), registo que apenas poderá ser ultrapassado caso a final seja marcada por um festival de golos. Também ninguém venceu mais duelos individuais que o extremo, o único jogador a atingir os três dígitos neste capítulo, com 103, muito por culpa do seu drible estonteante, que repetiu com sucesso 50 vezes, deixando atrás de si Ousmane Dembélé (Dortmund) com… 31.

No próximo sábado não perca o nosso acompanhamento live da grande final, no twitter, seguido de todos os ratings e dados aqui, no GoalPoint.

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR