a segunda jornada da Champions League voltou a ser maioritariamente aziaga para os emblemas portugueses, com Porto e Benfica a tombarem nas suas deslocações e cabendo ao Sporting salvar a “honra do convento” com uma vitória caseira diante do Legia.

Também ao nível dos GoalPoint Ratings a coisa não foi tão espectacular como na primeira jornada mas ainda assim não só encontramos alguns casos dignos de registo como, sobretudo, encontramos razões para aplaudir o desempenho individual de jogadores que, em teoria, seriam verdadeiros outsiders deste elenco. Eis o melhor onze da 2ª ronda.

Champions League | O XI GoalPoint Ratings da 2ª jornada!
Clique para ampliar

Passamos a alguns destaques:

  • Dani Alves (Juventus) 8.5 – Que começo de época “bianconero”, após tantos anos em Espanha, sobretudo na Champions, onde regista a segunda presença consecutiva neste “onze”. Porquê? Um golo e uma assistência na goleada em Zagreg, com outros números ainda a fazer lembrar Barcelona: 103 passes com 92% de eficácia!
  • Walcott (Arsenal) 8.4 – O brilhantismo de Theo pode ser intermitente mas quando aparece é assim: dois golos em quatro remates, dois passes para ocasião e seis duelos ganhos são alguns exemplos da noite inspirada.
  • Santander (Copenhaga) 8.3 – Ver um avançado do Copenhaga obter o terceiro maior rating da ronda surpreenderá uns e preocupará outros, nomeadamente os adeptos do Porto. Santander marcou um golo em três remates (todos enquadrados) mas ainda foi a tempo de fazer sete passes para ocasião, o máximo da ronda, dos quais sairam duas assistências. Noite mágica.
  • Dybala (Juventus) 8.1 – Após o empate caseiro com o Sevillha a abrir a prova, a Juve “encheu o saco” em Zagreb e o jovem Dybala foi um dos que brilhou: um golo em dois remates (ambos enquadrados), dois passes para ocasião, oito duelos ganhos e ainda arrancou quatro faltas. Tudo isto com 87% de passes certos, algo raro num avançado. Um prodígio mas já se sabia.
  • Son (Tottenham) 8.0 – Marcou o golo da vitória em Moscovo mas não só: somou sete remates (máximo da ronda) e ainda ofereceu quatro ocasiões aos colegas, que não souberam aproveitar.

Realce ainda também para a segunda presença consecutiva de Dani Alves. O brasileiro parece ter-se adaptado na perfeição ao mundo juventino após tantos anos no Barcelona e promete ser sinónimo de regularidada esta época.