A fase de grupos da Liga dos Campeões 2018/19 chegou ao fim, sem grandes surpresas no que toca a apurados nos diversos grupos. Esta temporada, contudo, fica marcada por algumas jornadas verdadeiramente notáveis em termos de desempenhos individuais, em especial na segunda. Finda a sexta ronda, é hora de olharmos para os melhores executantes das equipas presentes nesta frase, com base nos nossos GoalPoint Ratings, e há um ou outro nome que talvez o leitor não estivesse à espera de ver aqui.

Num sistema de 4-4-2, apresentamos os melhores executantes nas suas posições, com a presença de um “português”. Se é verdade que ao longo destas seis rondas não tivemos qualquer representante dos dois emblemas lusos em prova, FC Porto e Benfica, a exibição de Álex Grimaldo esta quarta-feira, e o seu extraordinário rating, acabaram por puxar a sua média para cima, reservando um lugar ao benfiquista.

Quando aos homens da frente, Riyad Mahrez intromete-se num “reino” em que os restantes nomes acabam por não espantar ninguém, pelas prestações que tiveram nos últimos meses. Em termos colectivos, porém, o destaque vai para o Manchester City de Pep Guardiola, que coloca três jogadores nesta selecção. Vamos aos craques.

GoalPoint-Onze-Fase-Grupos-Champions-201819-infog
Clique para ampliar

 

Milan Borjan (Crvena Zvezda) 6.55 – O Estrela Vermelha calhou num dos grupos mais difíceis e foi uma espécie de “saco de pancada” das outras três equipas, PSG, Liverpool e Nápoles, sofrendo 17 golos. E não encaixou mais por causa do seu guarda-redes. Borjan registou um 7.6 logo na primeira jornada, o que acaba por ser decisivo nesta presença, mas manteve sempre boas prestações, com excepção para a última ronda. O canadiano registou o número máximo de defesas a cada 90 minutos, nada menos que 6,5 – isto na equipa que mais remates permitiu, uma média de 21,5 – e ainda defendeu uma grande penalidade.

Mário Fernandes (CSKA Moscovo) 6.28 – O brasileiro naturalizado russo esteve muito bem ao longo da prova, apesar do último lugar do CSKA no seu grupo. O lateral começou e terminou a sua participação em alta, com uma exibição de qualidade na vitória por 3-0 no Santiago Bernabéu, ante o Real Madrid, partida na qual registou 13 acções defensivas, completou três de quatro tentativas de drible e fez dois passes para finalização.

Sergio Ramos (Real Madrid) 6.23 – O central do Real Madrid não surgiu em nenhum dos “onzes” da jornada esta temporada, mas ao manter uma regularidade exibicional relevante, acaba por reservar um lugar entre os melhores desta fase na sua posição. O espanhol dominou em especial nas recuperações de posse, nada menos que 8,8 a cada 90 minutos, o valor mais alto entre os centrais, dado o seu excelente posicionamento.

Aymeric Laporte (Man City) 6.27O melhor central da fase de grupos. O francês pegou de estaca no City, com exibições de grande nível, e saiu desta fase com dois golos na conta pessoal e com uma taxa de conversão de 40%. Para além disso, foi o quarto central com melhor eficácia de passe, 94%.

Álex Grimaldo (Benfica) 6.45 – Sem qualquer jogador de Porto ou Benfica nos “onzes” da jornada ao longo da época, o 9.4 de Grimaldo ante o AEK garantir-lhe-ia essa estreia, e também lhe assegurou a presença entre os melhores da fase de grupos. O golo do lateral-esquerdo, aliado a outros números de grande qualidade no último jogo, foram o culminar de uma participação positiva do espanhol, que foi o defesa com melhor rating acumulado e terminou como o segundo defesa com mais remates, 12, apenas um atrás do ex-Sp. Braga, Ismaily, do Shakhtar.

Toni Kroos (Real Madrid) 7.60 – Três presenças em seis jornadas no nosso “onze” não é para todos, muito menos de forma consecutiva, mas o alemão conseguiu-o entre a segunda e a quarta rondas. Entretanto, o Real mostrou uma irregularidade que terminou com a humilhação caseira ante o CSKA, mas Kroos já tinha feito o suficiente para garantir um lugar na equipa desta fase – muito por culpa do 8.9 conseguido precisamente na quarta jornada. Médio com mais acções com bola a cada 90 minutos (123,9), fez um golo e duas assistências, foi o segundo na posição com mais ocasiões flagrantes criadas (0,8) e o primeiro com mais passes para finalização (4,7) e eficácia nas entregas (95%).

David Silva (Man City) 7.25 – Com duas presenças nos nossos “onzes” da jornada, David Silva foi o motor de todo o futebol do City na Champions, registando, na segunda e terceira rondas, ratings de grande nível (9.0 e 8.6, respectivamente). O espanhol marcou três golos (alguns decisivos) e fez uma assistência, sendo o terceiro médio-centro com mais passes para finalização (2,9, atrás de Kroos e… Pizzi) e o quinto com mais passes de ruptura (0,8). Completou ainda todas as tentativas de drible (1,5 por 90 minutos).

Riyad Mahrez (Man City) 7.17 – O terceiro jogador do City nesta equipa. O argelino foi, acima de tudo, muito regular, registando o seu melhor rating à quarta jornada, com um 7.7. No total fez um golo e quatro assistências (este o valor máximo a cada 90 minutos, 1,2, entre os extremos), e brilhou nos passes para finalização, com 3,3, quarto valor mais alto entre os jogadores da sua posição, quer à direita, quer à esquerda.

Neymar (Paris SG) 7.84 – Talvez menos exuberante do que na época de estreia no emblema parisiense, Neymar foi, ainda assim, uma das estrelas da prova até ao momento, com cinco golos marcados e duas assistências (em 3,6 passes para finalização). O brasileiro foi o jogador da fase de grupos que registou mais tentativas de drible, nada menos que 11,0 por 90 minutos, tendo, contudo, sucesso em apenas 5,4, o equivalente a 49% de eficácia.

Lionel Messi (Barcelona) 9.42 – Já há poucos adjectivos para qualificar a época de Messi na Champions, pelo que o rating médio alcançado fala por si e faz do argentino o melhor da prova até ao momento. Nos quatro jogos que realizou, equivalentes a 299 minutos, “La Pulga” fez seis golos e uma assistência, registando um 10.0 logo na primeira jornada e um 9.9 na segunda. Não é preciso dizer muito mais, pois não?

Edin Džeko (Roma) 7.48 – O bósnio da Roma tem estado em grande forma na Europa, tendo registado um 9.7 na segunda jornada e um 8.7 na terceira. Ao todo somou cinco golos e duas assistências, sendo o segundo jogador, atrás de Messi, com mais remates enquadrados (3,0, contra os 3,5 do argentino).

Como sempre acontece, deixamos cair o “onze” da última jornada, para nos centrarmos de imediato na equipa que melhor desempenho teve em toda a fase de grupos. Porém, apresentamos aqui os “tops” da sexta ronda.

GoalPoint-Tops-Jornada-6-Champions-League-201819-infog
Os tops GoalPoint da 6ª jornada da Liga dos Campeões 2018/19!

Confira, jogo a jogo, os números que justificam a eleição dos melhores, na tabela de acompanhamento dos jogos GoalPoint, actualizada poucos minutos após o término de cada encontro da Liga dos Campeões! Pode também encontrar todo o histórico da época neste “link”, incluindo Champions e Liga NOS.

UCL 18/19 J6STATGPRMVP
2-3
1-0
1-1
1-1
0-0
0-2
1-0
1-4
0-3
2-1
1-1
2-1
3-3
1-0
2-1
2-1