A Liga dos Campeões entrou na fase decisiva com estrondo. Os oitavos de-final proporcionaram alguns jogos de grande qualidade, goleadas, reviravoltas emocionantes e exibições individuais de nível elevado (sabemos em quem está a pensar). O “onze” desta fase, com base nos GoalPoint Ratings, reflecte isso mesmo, com jogadores a acumularem notas impressionantes nas duas mãos, com especial incidência, como é normal, para as posições mais adiantadas do terreno.

Mas o nosso primeiro destaque vai para os jogadores portugueses. No total são quatro atletas lusos a figurarem nesta equipa, um em cada sector, do guarda-redes a um dos homens mais avançados. Uma ronda que premeia três jogadores do Barcelona e outros tantos do Manchester City, e ainda dois da Juventus. Vamos aos detalhes.

GoalPoint-Onze-oitavos-UCL-201819-infog
Clique para ampliar

 

Anthony Lopes (Lyon) 7.06 – O guarda-redes português foi o azarado da noite em Camp Nou, saindo à meia-hora, lesionado, numa altura em que estava a realizar uma excelente exibição e era dos melhores em campo. A esse facto junta-se a grande prestação na primeira mão, em França, na qual foi o melhor do lado do Lyon, com cinco defesas, quatro delas seguras. Não foi por Anthony que o Olympique ficou pelo caminho.

João Cancelo (Juventus) 6.97 – O lateral luso jogou apenas alguns minutos na primeira mão, mas foi titular na segunda e brilhou, sendo o segundo melhor em campo, apenas atrás do compatriota Cristiano Ronaldo. Cancelo fez a assistência para o 2-0, somou quatro passes para finalização neste segundo jogo e completou três de sete cruzamentos. E ainda fez cinco desarmes.

Gerard Piqué (Barcelona) 6.65 – Eliminatória muito competente de Piqué ante o Lyon. Na segunda mão fez um dos tentos dos catalães, na goleada por 5-1, e na primeira teve bem mais trabalho defensivo, com destaque para os quatro desarmes, contribuindo para o nulo em França.

Jan Vertonghen (Tottenham) 7.12A grande exibição do belga na primeira mão com o Dortmund justifica a sua presença neste “onze”. O 8.2 que registou em Londres tem por base um golo e uma assistência, algo raro num central na Champions, para além de quatro dribles eficazes em cinco tentativas e nove acções defensivas. A segunda mão foi bem mais tranquila, mas ainda assim fez 12 acções defensivas, entre elas um corte decisivo.

Oleksandr Zinchenko (Man City) 7.52 – A superioridade do City ante o Schalke foi total e bastou ao lateral ucraniano um jogo completo para o colocar entre os melhores da ronda. Zinchenko foi dos melhores da sua equipa na goleada por 7-0 em casa contra os alemães, registando uma assistência em dois passes para finalização, 95% de eficácia de passe, 104 acções com bola e dez acções defensivas, metade delas desarmes.

Sergio Busquets (Barcelona) 7.18 – Pouco há a dizer da passagem do Barça aos oitavos-de-final. Se as dificuldades existiram na primeira mão, em especial na finalização, na Catalunha tudo foi mais fácil. Porém, o “trinco” esteve em grande nível nas duas partidas, com o máximo de acções com bola em França (120), 91% de eficácia de passe e dez recuperações de posse. No segundo jogo fez uma assistência em dois passes para finalização e registou nove acções defensivas.

Bernardo Silva (Man City) 6.87 – O terceiro português desta equipa. Bernardo continua a encantar e esteve muito bem no segundo jogo, embora mais discreto no primeiro. Em Inglaterra começou por sofrer a falta que deu a grande penalidade do 1-0, fez uma assistência, marcou um golo no único remate que fez e errou apenas dois de 48 passes.

Lionel Messi (Barcelona) 8.84 – A sua consistência na presente Liga dos Campeões é digna de estudo. Melhor em campo na primeira e segunda mãos, Messi fez dois golos em sete remates e duas assistências em três passes para finalização na partida de Camp Nou, para além de ter completado três de oito dribles. Em Lyon já havia rematado nove vezes, criado uma ocasião flagrante em cinco passes para remate e completado cinco de oito dribles.

Leroy Sané (Man City) 9.66 – O melhor jogador dos oitavos-de-final foi carrasco da sua antiga equipa. O alemão Sané, que chegou em 2016/17 ao City proveniente do Schalke, já havia marcado um golo na primeira mão, na Alemanha, apesar de ter jogado 16 minutos apenas, e em Inglaterra esteve arrasador, com mais um tento em três remates, incríveis três assistências e ainda sete recuperações de posse.

Dusan Tadić (Ajax) 8.14 – O Ajax fez regressar as suas grandes noites europeias, com o resultado mais espectacular dos oitavos-de-final. Após perder 2-1 em casa com o Real Madrid, os holandeses foram a Espanha golear por 4-1 em pleno Santiago Bernabéu. Tadic já havia sido um dos melhores no primeiro embate, com cinco passes para finalização e quatro dribles eficazes em cinco tentativas, mas na segunda foi mesmo a estrela maior, com um rating de 9.1, fruto de um golo em dois remates (ambos enquadrados), três ocasiões flagrantes criadas em cinco passes para finalização e quatro dribles eficazes (em quatro).

Cristiano Ronaldo (Juventus) 8.38 – Não há volta a dar-lhe: a Champions é o palco predilecto de CR7 e estes oitavos-de-final só vieram cimentar essa ideia. A Juventus perdeu 2-0 em Espanha, na primeira mão, num jogo em que Ronaldo já havia sido o melhor da sua equipa, com dois passes para finalização e sete dribles eficazes em dez. Os golos, esses guardou-os todos para a segunda mão, nada menos que três, um “hat-trick” que garantiu o apuramento e um rating de 10.0 – suportado ainda por cinco remates (três enquadrados) e cinco dribles completos em dez.

Confira, jogo a jogo, os números que justificam a eleição dos melhores, na tabela de acompanhamento dos jogos GoalPoint, actualizada poucos minutos após o término de cada encontro da Liga dos Campeões! Pode também encontrar todo o histórico da época neste “link”, incluindo Champions e Liga NOS.

Os números da primeira mão (clique nos ícones para conferir, jogo a jogo)

UCL 18/19 8os 1ª MSTATGPRMVP
0-2
2-1
3-0
1-2
0-0
0-0
2-3
2-0

Os números da segunda mão

UCL 18/19 8os 2ª MSTATGPRMVP
0-1
1-4
1-3
3-1
7-0
3-0
5-1
1-3