Eden Hazard
Eden Hazard, Bélgica

O termo “passe para ocasião” gerou alguma polémica no programa Play-Off deste domingo (26 de Junho), transmitido pela SIC Notícias. De forma (compreensívelmente) errada o conceito acabou por ser enquadrado como um passe para ocasião de golo, no contexto de situação de perigo iminente.

Há ocasiões e… ocasiões

Posto isto, nada como explicarmos de forma mais detalhada o conceito a quem nos segue. Um passe para ocasião é um passe que precede um remate, independentemente da perigosidade do contexto em que este é realizado. Ou seja, o passe de Nani para o remate de Cristiano Ronaldo frente á Croácia é tão “passe para ocasião” como o é um passe de Guerreiro ao qual Cristiano decida dar sequência com remate, ainda de fora da área.

Do sumário à profundidade

Na hora de apresentar sumários, como os que publicamos regularmente (e aqueles que são neste momento difundidos pela SIC Notícias), as “ocasiões” são englobadas todas no mesmo “cesto”. No entanto, para fins analíticos (nos quais se inscreve o cálculo GoalPoint Ratings) contabilizamos outras variáveis que permitem quantificar a perigosidade da ocasião, como o tipo de construção da jogada, o resultado do remate e até mesmo a posição de onde este é desferido.

A estatística é muito mais do que aquilo que escolhemos mostrar, para os diversos fins sobre os quais trabalhamos. No cálculo do nosso rating temos em conta quase duas centenas de variáveis por jogador (!). Tudo para traduzir, da forma mais profissional possível aquilo que a estatística pode dizer sobre o futebol que… nunca será tudo.