Já enjoa de Euro 2016 não? Fazemos uma breve pausa aproveitando o término da Copa América Centenário 2016 (conquistada novamente pelo Chile) destacando cinco “talentos” compatíveis com os cofres dos grandes clubes nacionais. Depois não digam que não avisámos.

5. Jefferson Montero (Equador)

26 anos | Extremo | Swansea
GoalPoint Ratings™ 6.03

Destacou-se de no Mundial 2014 quando ainda jogava no México, o que lhe valeu uma transferência para a Premier League onde ainda alinha pelos galeses do Swansea.

A sua primeira época não correu mal, tendo registado algumas boas exibições e um total de sete assistências. Contudo, a temporada 15/16 do equatoriano foi mais apagada, com o extremo a aproveitar a Copa América para voltar a mostrar do que é capaz.

https://www.youtube.com/watch?v=0Bbj3HV84HE

Montero é um extremo puro, que joga habitualmente pelo lado esquerdo, mas que, sendo ambidextro, também pode actuar à direita. Por gostar de jogar “colado” à linha não é um extremo que tenha registos goleadores elevados, mas no que toca à capacidade de drible e de cruzamento é dos mais incisivos talentos sul-americanos da actualidade.

Seria ideal para um clube português que goste de explorar os flancos e tendo em conta que não está propriamente em alta, é provável que o Swansea o deixe sair por um preço parecido ao que pagou por ele: cinco milhões de Euros.

4. Daniel Torres (Colômbia)

26 anos | Médio-defensivo | Int. Medellin
GoalPoint Ratings™ 6.00

Daniel Torres demorou a “explodir”, mesmo no contexto do futebol colombiano, mas tem vindo a fazer uma carreira em crescendo e que teve nesta Copa América 2016 o seu ponto de maior destaque.

Chamado pela primeira vez aos “cafeteros” no final do ano de 2015, Daniel Torres não demorou a agarrar um lugar no onze de José Pekerman e foi uma das figuras na selecção que conquistou o terceiro lugar na prova.

https://www.youtube.com/watch?v=eq36u6_TRGc

Torres é um médio-defensivo com boa capacidade de passe e que apesar de se destacar pela concentração nas tarefas defensivas também sabe sair a jogar, apresentando sinais de uma visão de jogo assinalável para um jogador da sua posição.

Aos 26 anos Torres é um médio feito, maduro, na idade ideal para experimentar pela primeira vez o futebol europeu. O seu preço deverá rondar os três milhões de Euros, mesmo depois das boas prestações nos Estados Unidos.

3. Wilker Ángel (Venezuela)

23 anos | Defesa-central | Dep. Táchira
GoalPoint Ratings™ 5.70

A Venezuela foi uma das surpresas da fase de grupos da Copa América: não perdeu nenhuma partida e sofreu apenas um golo num grupo onde defrontou México e Uruguai, feito que muito se ficou a dever a Wilker Ángel.

https://www.youtube.com/watch?v=HzGeRMQfCHA

Jovem de 23 anos que ainda alinha no campeonato local, Ángel é um central de 1,88m, poderoso nos duelos, sobretudo aéreos, qualidade que também exibe na área contrária. Em 2014/15 deu o titulo nacional à sua equipa com um golo de cabeça no último minuto e tem uma média a rondar os quatro golos por época. A juntar a essas capacidades, é também muito concentrado e faz uso da sua passada larga para ganhar muitas bolas em antecipação.

Wilker pode ainda melhorar o jogo de pés, mas tendo em conta a sua margem de progressão e até a “pechincha” que o seu valor de mercado indica (meio milhão de euros), justifica plenamente a aposta por parte de um clube português.

2. Edwin Cardona (Colômbia)

23 anos | Médio-ofensivo | Monterrey
GoalPoint Ratings™ 5.97

Cardona é um dos mais excitantes talentos sul-americanos da actualidade. Médio-ofensivo que também pode descair para a ala esquerda, aproveitou a Copa América Centenário para se mostrar ao mundo como nunca tinha feito.

Pela Colômbia e Américas no geral, Cardona já é um nome conhecido. É certo que nem sempre pelas melhores razões, mas diz quem o conhece que desde que foi para o México está mais focado no seu talento e já não “ferve em pouca água” com a mesma facilidade. Verdade seja dita que nos Estados Unidos nem um amarelo viu, mas a sua época na Liga MX teve 19 golos e… 17 cartões.

Esquecendo a rebeldia e a folha disciplinar, Cardona é uma máquina de futebol ofensivo que se destaca pela visão de jogo e pelo magnífico pé direito, que lhe vale grandes golos quase semana sim, semana não.

Na Copa América, apesar de não ter marcado, ameaçou com frequência e foi o jogador com a maior média de remates de fora da área por jogo, registando ainda duas assistências e vários pormenores de génio.

É certo que é um risco pagar cerca de 10 milhões de euros por um jogador problemático, mas se correr bem…

1. Renato Tapia (Perú)

20 anos | Médio-centro | Feyenoord
GoalPoint Ratings™ 5.73

O mais “novinho” deste lote, Tapia é contudo aquele que acarretará menos riscos de adaptação, dado que joga em solo Europeu desde tenra idade. Chegou ao Twente quando ainda tinha 17 anos e começou a destacar-se em 14/15, um ano depois. Em Janeiro de 2016 o Feyenoord pagou 2,5 milhões de euros pelo seu concurso, mas Renato acabaria por ser titular apenas duas vezes na segunda metade da época.

Nesta edição da Copa América Tapia jogou mais recuado (médio-defensivo) e também não se deu mal, sendo dos jogadores com a maior média de desarmes por jogo do torneio. Tendo em conta a sua técnica individual e visão de jogo, acaba por parecer um desperdício, mas Tapia tem características morfológicas para ser trabalhado nessa posição e tornar-se num dos melhores médios-defensivos dos próximos anos.

Não se sabe ao certo se o Feyenoord estará disposto a abrir mão dele no imediato, mas é uma aposta de futuro segura e provavelmente (ainda) relativamente acessível para os cofres de um clube grande do nosso campeonato.