Craque do Dia | A forma como Gosens derrubou Portugal

-

Esta não queríamos escrever, em especial pela forma como aconteceu, mas não podemos fugir da realidade. Portugal perdeu por 4-2, foi completamente dominado e houve um jogador alemão que brilhou intensamente, mesmo tendo jogado apenas uma hora, sensivelmente. A eleição do Craque do Dia, pelos GoalPointers, dificilmente seria outra.

Robin Gosens fez o que quis do lado direito da defesa lusa, perante um desamparado Nélson Semedo, lateral português que, sem o dom da ubiquidade, tinha de escolher entre “atacar” o ala da Atalanta ou fechar no meio, em zonas de finalização germânicas, para anular as diagonais de Gnabry, Havertz ou Müller, sem que tivesse qualquer auxílio de colegas de equipa. Resultado, Gosens teve uma auto-estrada “à alemã”, sem limite de velocidade ou controlo.

GoalPoint-Portugal-Germany-EURO-2020-MVP
Clique para ampliar

As estatísticas finais mostram um golo marcado, três remates, todos enquadrados, uma assistência em dois passes para finalização. Só não mostram que foi ele o responsável pelo passe/remate (?) que acabou no autogolo do Rúben Dias (1-1) e que viu um golo anulado por fora-de-jogo de centímetros ainda a partida estava em 0-0.

[ As 46 acções com bola e o “heatmap” de Gosens frente a Portugal ]

Os dois mapas acima mostram claramente por onde Gosens desequilibrou. O jogador da Atalanta encostou-se à linha, e praticamente só saiu de lá para fechar por dentro junto à sua grande área, ou para integrar-se na área portuguesa, criando aí um sem número de desequilíbrios, incluindo o golo que marcou. Em momentos ofensivos foi um autêntico extremo, que aproveitou de forma exímia a necessidade de Semedo em fechar por dentro perante as diagonais dos três da frente, em zonas de muito maior perigo do que as de Gosens. E Portugal nunca percebeu o que lhe estava a acontecer. O resto é História.

Uma história de sucesso em Itália

[ Os dados de desempenho de Gosens nas quatro épocas na Atalanta ]

O lateral de 26 anos fez grande parte da carreira na Holanda, passando por diversos clubes de pequena nomeada, como os Sub-19 e Sub-21 do Vitesse, o Dordrecht ou o Heracles. E foi neste último que Gosens deu nas vistas, ao ponto de, em 2017/18, a Atalanta avançar para o seu concurso, pagando a módica quantia de €1,17M – valores Transfermarkt. O alemão pegou de estaca, realizando consecutivamente épocas extraordinárias, com destaque para a evolução que viveu em termos ofensivos. Se nas duas primeiras temporadas fez um total de quatro golos e três assistências, nas duas derradeiras fez 20 tentos e 14 passes para golo. Um caso sério, e ainda só tem 26 anos.

Pedro Tudela
Pedro Tudela
Profissional freelancer com 19 anos de carreira no jornalismo desportivo, colaborou, entre outros media nacionais, com A Bola e o UEFA.com.