O Benfica sofreu esta quarta-feira, na sua visita ao Basileia, em jogo da segunda jornada da edição deste ano da prova, a pior derrota da sua história na Liga dos Campeões, tendo regressado a casa com cinco golos sem resposta após uma exibição pobre.

O resultado, que culmina uma série negra de sete jogos com apenas duas vitórias, deixa os “encarnados” no último lugar no seu grupo da Champions, com zero pontos, após a derrota em casa frente ao CSKA de Moscovo. O clube da Luz está em crise.

Nas hostes benfiquistas começa a ser indisfarçável o desconforto com a escassez de resultados positivos, e surgem os primeiros indícios de contestação. Os adeptos “encarnados”, mas não só, começam a apostar os seus créditos BetClic Código Promocional na questão que começa a surgir: “Quanto tempo falta para Rui Vitória ser despedido?”.

Este é um momento negativo que assola o Benfica, equipa habituada a ganhar, tetracampeã e que também quer o penta, que possui uma massa associativa que não perdoa “séries negras”. E é de uma série negra que se trata. Nos últimos oito jogos, as “águias” averbaram um empate e uma derrota na I Liga, resultados que deixam a equipa a cinco pontos do líder – para além de um empate em casa na Taça da Liga e duas derrotas em dois jogos na Champions.

Pior do que os resultados, as exibições. Os adeptos olham para a equipa e não vêem a qualidade de jogo e a capacidade de reacção que há dois anos permitiram recuperar de uma desvantagem de oito pontos frente ao Sporting de Jorge Jesus e ganhar o tricampeonato. Por este motivo, muitos adeptos apostam que Rui Vitória não sobrevive ao fim-de-semana – em particular se a equipa escorregar na deslocação aos Barreiros.

Mas esta não é, de longe, uma opinião unânime. Há quem defenda que não há nenhum motivo para sacrificar Rui Vitória aos “Deuses do Futebol” – e por inúmeras razões.

Em primeiro lugar, o Benfica mantém intactas as suas aspirações ao título, pois está a cinco pontos do FC Porto e a três do Sporting, em véspera da deslocação dos “dragões” a Alvalade – encontro que pode permitir aos “encarnados” recuperar três pontos aos rivais… se ganhar ao Marítimo.

Em segundo lugar, o Rui Vitória que está aos comandos da equipa este ano é o mesmo que nos últimos dois anos ganhou seis dos oito títulos nacionais em disputa.

E em terceiro, os adeptos parecem equacionar que “Rui Vitória é o menos culpado”. Está a liderar uma equipa que perdeu quatro titulares (Ederson, Lindelof, Nelson Semedo e Mitroglou), encaixando mais de 115 milhões de euros, sem os ter substituído adequadamente com os sete milhões que gastou em contratações – excepção feita a Seferovic (?).

Se alguém deveria ter o lugar em risco, dizem alguns analistas, seriam os responsáveis pela política de contratações do clube esta época. Infelizmente para Rui Vitória, a corrente quebra sempre pelo elo mais fraco: o treinador.

Entretanto, a Norte há outro treinador sem reforços, Sérgio Conceição, que conta por vitórias os sete jogos disputados na Liga, que está cinco pontos à frente, dá goleadas semana sim semana não e que acaba de chegar do Mónaco após uma estrondosa vitória sobre a equipa de Leonardo Jardim.

Razões pelas quais a questão é mais pertinente que nunca: irá Rui Vitória sobreviver ao fim-de-semana?