A época 2017/18 está a ser atípica para Cristiano Ronaldo. Pelo menos para “metade” do craque português do Real Madrid. As recentes exibições do capitão da Selecção nacional abafam um pouco a sensação de temporada menos conseguida por parte de Ronaldo (tendo por base a fasquia que o próprio estabeleceu com base na sua carreira), mas a verdade é que nem tudo tem sido “rosas”  para o jogador, como, aliás, já o referimos aqui.

O CR7 da Liga espanhola tem estado uns furos abaixo do habitual, apesar da recente recuperação. É certo que 11 golos em 18 jogos não será nada mau para um jogador “normal”, mas para o português este é um registo modesto. Isto se levarmos em conta o histórico do avançado pelo Real na La Liga.

ÉpocaJogosGolosAssistências
La Liga 2017/1818113
La Liga 2016/1729255
La Liga 2015/16363511
La Liga 2014/15354816
La Liga 2013/1430319
La Liga 2012/13343410
La Liga 2011/12384612
La Liga 2010/11344010
La Liga 2009/1029267

Nas nove temporadas ao servido do Real Madrid, Ronaldo apenas marcou menos golos do que jogos em que participou em quatro ocasiões. Se é certo que esta temporada ainda tem muitas partidas pela frente, certo é que Ronaldo parece longe do jogador que, por exemplo, em 2011/12 marcou 46 golos em 38 jogos e ainda fez 12 assistências, ou ainda mais distante daquele que, em 2014/15, participou em 64 golos (entre tentos e assistências) nos 35 desafios que fez na Liga espanhola.

A questão que fica, no entanto, é se esta é uma tendência generalizada da carreira de Cristiano. O próprio jogador já veio afirmar: “Aos 20 anos fazia coisas que já não consigo”. Um reconhecimento de que, aos 33 anos, as suas características mudaram e nada é tão fácil como o era há alguns anos. Todavia, esta quebra na Liga espanhola não tem tido acompanhamento na Liga dos Campeões. Cristiano tem mantido, na Champions, números “normais” para os seus padrões e esta época é a sétima consecutiva em que marcou dez ou mais golos na competição. As diferenças entre CR7 na La Liga e na Liga dos Campeões são notórias e esta quarta-feira bisou no triunfo “merengue” por 3-1 ante o Paris Saint-Germain de Neymar – dos últimos 16 golos “blancos”, 12 foram do português.

GoalPoint-Cristiano_Ronaldo_2017_vs_Cristiano_Ronaldo_2017-infog
Clique para ampliar

 

Ronaldo soma, nesta altura, à 23ª jornada da Liga espanhola e com a primeira mão dos oitavos-de-final da Champions já disputada, o mesmo número de golos nas duas provas, 11. No entanto, na Europa conseguiu-o em apenas sete jogos, contra os 18 na La Liga. Mas não é só aí que as diferenças se notam, e de que maneira.

Desempenho 17/18La LigaUCL
Jogos187
Golos1111
Assistências41
% ocas. Flag. Convertidas26,1%46,7%
Remates p/90m6,97,9
Remates enquad. p/90m2,53,8
% conversão9%20%
% conversão bola corrida7,5%13,3%
Passes finalização p/90m1,60,6
Ocas. flag. criadas p/90m0,40,3

Fonte: GoalPoint / Opta

Cristiano Ronaldo apresenta uma eficácia bem superior nos jogos da Liga dos Campeões em relação aos da La Liga, pelo que não espantam os 11 golos europeus até ao momento. Na Champions, CR7 converteu razoáveis (e apenas isso) 46,7% das ocasiões flagrantes de que dispôs. O pior é quando olhamos para os números na Liga espanhola, onde não passa dos sofríveis 26,1%. Também na Europa Ronaldo tenta mais o remate a cada 90 minutos e enquadra mais os seus disparos, e a taxa de conversão de tentativas difere bastante entre as duas competições: 9% no campeonato espanhol, 20% na UCL – 7,5% contra 13,3% de bola corrida.

É caso para perguntar: na La Liga, onde pára o Ronaldo da Champions? Quais os motivos por detrás de tal diferença de rendimento? Poder-se-á argumentar da dificuldade do campeonato de nuestros hermanos, mas seria errado considerar essa competição mais complicada que a mais importante competição da UEFA de clubes. Resta-nos o argumento da motivação, e esse, à primeira vista, parece ser o mais óbvio. Ronaldo aparenta estar mais motivado para ganhar e jogar na Champions do que no campeonato doméstico. Um “problema” pessoal, mas possivelmente também colectivo.