Croácia 🆚 Rep. Checa | Perisic empata e ninguém se chateia

-

Os vice-campeões do mundo em título estiveram perto do adeus precoce ao Europeu, mas o golo do avançado do Inter de Milão recolocou-os na corrida, ainda que este seja para já o seu pior registo de sempre na prova. Já os checos continuam sem vencer os croatas (três empates e uma derrota em quatro confrontos), mas não se mostraram nada preocupados com isso, num jogo em que fizeram golo no único remate enquadrado com a baliza adversária (e de penalty).

GoalPoint-Croatia-Czech-Republic-EURO-2020-1-Ratings
Clique para ampliar

Nulo desbloqueado pelo cotovelo de Lovren

O equilíbrio reinou nos primeiros 45 minutos, ainda que com ligeira ascendência dos checos, como atestam os seis remates contra quatro dos croatas, mas também as acções na área e meio-campo adversário (nove para cinco e seis para cinco) e a posse de bola (52% para 48%). Acabou por ser a cotovelada de Lovren em Schick a desbloquear o 0-0 que teimava em persistir até aos 37 minutos, com o avançado checo a transformar em golo o penálti correspondente e a isolar-se como melhor marcador do Europeu: três golos em dois jogos.

A segunda parte foi em tudo semelhante à primeira, embora beneficiando o lado oposto. A Croácia marcou, logo após o intervalo, e foi a equipa que registou alguma superioridade neste período: sete remates contra cinco, três acções defensivas no meio-campo adversário contra duas dos checos e 52% de posse de bola.

[ Não, o top de tendências de passe da Croácia não é “bug”, garante-nos o Modric… ]

GoalPoint-Croatia-Czech-Republic-EURO-2020-pass-1-network
Clique para ampliar

O MVP GoalPoint👑

No momento em que o seu país mais precisava, Perisic não falhou e marcou um golaço que mantém a esperança do apuramento para a Croácia – o seu 29º tento na selecção, que o torna o terceiro melhor marcador de sempre da equipa, em igualdade com Eduardo da Silva e só atrás de Mandzukic (33) e Suker (45), e segundo com mais golos em fases finais a par de Manzdukic, com oito (Suker tem nove). As oito acções com bola na área contrária e as seis conduções aproximativas (dois máximos) ajudam a explicar o GoalPoint Rating de 6.6.

Outros GoalPoint Ratings 🔺🔻

Destaques da Croácia:

Gvardiol 6.5 – O lateral-esquerdo de apenas 19 anos destacou-se pelas acções ofensivas, com dois passes para finalização e três conduções aproximativas, mas também correspondeu em termos defensivos: quatro intercepções e oito bloqueios de passe/cruzamento.

Modric 6.0 – O patrão do meio-campo croata esteve menos brilhante do que é habitual, mas ainda assim causou perigo na área checa com dois passes para finalização, destacando-se ainda na vertente defensiva com quatro recuperações de posse.

Lovren 4.4 – A estrear-se em Europeus, apesar de ser dos mais cotados e titulados em campo, evidenciou-se pelas 11 recuperações de posse e os três duelos aéreos defensivos ganhos em quatro… mas borrou a pintura no outro, cometendo um penalty totalmente desnecessário.

Destaques da República Checa:

Coufal 6.2 – O lateral-direito do West Ham mostrou que a belíssima época de estreia em Inglaterra não foi obra do acaso, somando dois passes para finalização, seis passes valiosos e nove recuperações de posse, além de quatro acções defensivas no meio-campo contrário e seis desarmes.

Soucek 6.2 – O médio que também actua no West Ham deu nas vistas com três remates e uma eficácia de passe de 93% (50 passes certeiros em 54 tentativas), bem como pelas três conduções aproximativas à baliza adversária.

Schick 5.5 – O mais rematador do jogo (quatro, embora três deles tenham sido desenquadrados com a baliza contrária) e também de todo o Europeu (dez, a par do italiano Immobile) é igualmente o melhor marcador da prova: já lá vão três golos em dois jogos.