Na sua edição do dia 10 de Maio, o jornal A Bola escreve que o Benfica esta à procura de um “novo Jonas”. Segundo o mesmo diário desportivo, tendo em conta a idade do seu “camisola 10”, os “encarnados” procuram um avançado com características semelhantes às do “Pistolas”. Ora, isso fez de imediato “soar as sirenes” no escritório.

Não sendo um exercício simples de fazer, sobretudo no caso de jogadores com a qualidade do brasileiro, esse é um dos serviços que oferecemos enquanto GoalPointPro, e também um dos que mais procura tem. Recorrendo a dados de desempenho e a complexos modelos estatísticos, conseguimos identificar, num vasto lote de competições, jogadores com características que se enquadrem nas de um alvo previamente identificado, neste caso, Jonas.

DataScouting-Jonas-BenficaA primeira coisa a fazer é perceber em quê, estatisticamente falando, o brasileiro se destaca dos demais jogadores que actuam na sua posição. O que decide habitualmente fazer quando tem e não tem a bola, mas também com que eficácia executa cada acção que tenta. E há muita coisa em que Jonas foge da norma…

Especial? Sim. Mas porquê?

Para começar, Jonas é um avançado bastante móvel, que interage com a bola cerca de 55 vezes a cada 90 minutos. Em média, um avançado-centro fá-lo 39 vezes. Depois, o facto de também interagir bastante com os companheiros, mesmo em zonas adiantadas. Das 57% das vezes que tem a bola perto do último terço, Jonas opta por passá-la e, 6% das vezes até cria situações de finalização. Isto destaca-o dos 50% e 4%, respectivamente, de um avançado “normal”, sobretudo porque também remata com elevada frequência (15% contra 11% do avançado-médio).

A um nível mais qualitativo, destaque para o facto de receber quase sempre bem o esférico. Só 5% dos passes que lhe chegam resultam num controlo de bola deficiente, contra os 7% da norma. Mas há mais. Essa interligação com a equipa é feita com base numa excelente qualidade de passe. Assim, 68% dos passes que faz no último terço chegam ao destinatário, contra a média de 61% e, quando recebe a bola de costas e decide passar para trás, falha apenas 7% contra os 10% habituais.

Mas Jonas não é um goleador por acaso e ao nível da eficácia de remate os seus números também são acima da média. De todos os remates que faz, apenas 7% saem muito desenquadrados, quando a norma são 11%, e isto é ainda mais notável tendo em conta que 28% dos seus remates são executados de fora da área. Desses disparos de longe, 48% vão à baliza, quando o valor médio é de apenas 30%.

O ataque dos clonesDataScouting-Jonas-Benfica-Griezmann

Percebido que está aquilo que torna Jonas num fenómeno, sobretudo a nível interno, o objectivo foi então encontrar jogadores com o mesmo “ADN” do brasileiro. Da lista final deixámos de fora nomes que seriam demasiado irrealistas a nível de mercado ou com idades superiores a 30 anos – aquela com que o brasileiro chegou ao Benfica -, mas, em tom de curiosidade, refira-se que foi Antoine Griezmann aquele com o perfil mais aproximado do “Pistolas”, seguido de Roberto Firmino.

Na próxima página: os cinco