O destaque era inevitável. André André não só decidiu o “clássico”, dando a primeira vitória a Julen Lopetegui contra o Benfica, como realizou um jogo impressionante, em qualidade e quantidade.

UM “MOURO” DE TRABALHO

No “clássico” da última jornada o médio portista atingiu um GoalPoint Rating de 7.8, fruto do desempenho generoso que ofereceu à equipa tornando até difícil a nossa selecção de indicadores para a infografia anexa.

Destaque 2015/16 - André André - Jornada 5
Clique na infografia para ampliar (foto: J. Trindade infografia: GoalPoint)

O colega Imbula fez muito mais passes que André nessa partida (58, com 91% de eficácia), mas dos seus 39, o nosso destaque fez três para ocasião de golo, o melhor registo dos “dragões” a par de Brahimi. André liderou também (e aqui de longe) em duelos individuais travados: 23, ganhando 11 dos mesmos, cometendo mais faltas (6), mas também sendo o portista mais castigado pelo adversário (5). Foi também o “dragão” que mais desarmes efectuou, a par de (e aqui temos surpresa)… Brahimi. Um “mouro” (no pun intenteded) de trabalho este André André.

Ao todo, na Liga NOS 2015/16 André já leva 196 passes feitos, 86% deles entregues aos colegas a uma média de 59 a cada 90 minutos e apenas 19% feitos para trás. Remates leva três e todos eles enquadrados com a baliza.

SURPRESA? NEM POR ISSO

O desempenho do médio ao serviço do FC Porto neste início de época poderá surpreender muita gente, mas não a nós. Os seus números já eram dignos de registo na época passada, sendo um dos grandes responsáveis pela boa época do Vitória, sobretudo na primeira metade da Liga, tendo merecido o nosso destaque. 

Benchmarks GoalPoint - André André - Liga NOS 2014/15
Clique na infografia para ampliar (foto: J. Trindade infografia: GoalPoint)

Numa análise GoalPoint Benchmarks não restam dúvidas sobre o alto rendimento de André André (vide infografia), mesmo ao serviço de um clube com outros objectivos (Vitória SC), quando comparado tanto com o registo dos médios-centros “azuis-e-brancos” da época 2014/15 como também com a média da posição de toda a Liga NOS na época transacta. André surpresa? Nem por isso.

Exímio marcador de grandes penalidades, André terminou a época com 11 golos, oito dos quais da marca de penalty. Cinco dos seus tentos foram influentes e três importantes, de acordo com os critérios do Índice de Goleadores GoalPoint. Se recordarmos as dificuldades que os “dragões” tiveram num passado recente com a marcação do castigo máximo, é caso para concluir que poderá ter saído a “sorte grande” ao Porto, ao recuperar o médio para os seus quadros.