O FC Porto foi a Kiev arrancar uma preciosa vitória… mas afinal não foi. Tivemos mesmo de corrigir, quando já ninguém esperava outra coisa para além do triunfo portista sobre o Dínamo. A formação portuguesa esteve a perder, deu a volta ao marcador, com um bis de Vincent Aboubakar, mas deixou-se empatar 2-2 em cima dos 90 minutos, numa altura em que os da casa pareciam já de braços caídos.

É talvez este último pormenor que mais marca, pela negativa, quando olhamos para o resultado. Durante quase todo o encontro o FC Porto controlou o seu adversário, quase todos os processos do jogo, mesmo sem se superiorizar claramente, e a vitória parecia o prémio natural de uma equipa mais madura. Mas um erro colectivo na defesa deitou tudo a perder. A ideia de que “até ao lavar dos cestos é vindima” ficou esquecida.

UCL 2015/16 - Grupos J1 - Dinamo Kiev vs FC Porto - Onzes
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Revolução autêntica! É como se pode caracterizar as opções de Julen Lopetegui para este jogo. A ideia era clara, o reforço do meio-campo para tentar travar o futebol em progressão dos ucranianos. Danilo Pereira com Rúben Neves, como dupla de médios mais defensivos. Hector Herrera mais à direita, André André na esquerda, mas estes dois com ordens para ajudar os laterais e também para fecharem ao meio sempre que preciso, a defender, mas também a atacar – para que Maxi Pereira e Miguel Layún tivessem o corredor livre para subir no terreno. Na frente, Vincent Aboubakar a ponta-de-lança, bem apoiado por Yacine Brahimi, sempre muito activo a tentar movimentos de ruptura, poucas vezes com sucesso.

EQUILÍBRIO (QUASE) TOTAL

O que o Porto conseguiu com esta estratégia? Para além de mudar por completo a sua forma de jogar, complicou também a tarefa dos ucranianos. A primeira parte foi de equilíbrio intenso, e mesmo total em algumas fases. À passagem da meia-hora assistiu-se a isso mesmo, com 1-1 no marcador fruto de dois remates, um enquadrado para ambos os conjuntos, e 50% de posse para cada equipa.

UCL 2015/16 - Grupos J1 - Dinamo Kiev vs FC Porto - 1ª Tempo
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O golo de Oleh Gusev, aos 21 minutos, surgiu numa altura em que os da casa apresentavam um ligeiro ascendente, com 54% de posse, e aconteceu muito culpa das subidas constantes de Maxi, que não estava em zona defensiva quando o jogador do Dínamo surgiu para encostar. Mas essas mesmas subidas dos laterais também tiveram resultados positivos, pois foi numa investida de Layún, com cruzamento deste, que Aboubakar empatou, de cabeça, aos 23 minutos. E o equilíbrio persistiu até ao intervalo, com 51% de posse de bola para o Porto, mas o Dínamo a somar mais disparos, seis contra três (3-1 em enquadrados).

>> NA PRÓXIMA PÁGINA: BALDE DE ÁGUA FRIA