FC Porto: um “dez” bem perto de casa

Emprestados: O que vão rendendo os cedidos pelos "grandes"?
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

O FC Porto concentra a maioria dos seus emprestados na Liga NOS, mas há um que se destaca claramente pela positiva em relação aos demais. Otávio tem sido a figura de proa do Vitória de Sérgio Conceição, jogando numa posição para a qual o Porto não tem opções e a qual José Peseiro previlegia frequentemente nos seus sistemas tácticos. Otávio tem ainda a grande valência de ser um exímio marcador de bolas paradas, cotando-se como o melhor da Liga a criar golos a partir desses lances, e justificaria claramente uma chamada à base.

Lá por fora o melhor é Ricardo Pereira, que lembramos, está emprestado até ao fim da próxima época. O agora convertido em lateral-esquerdo teria concorrência forte com Maxi e Layún, mas se a opção sobre Layún não for exercida, fazer regressar o português seria um passo acertado. Relembramos que Ricardo integrou, por direito próprio, o melhor onze GoalPoint Ratings da Ligue 1 até ao momento.

Outra das posições instáveis no FC Porto, a de defesa-central, talvez não estivesse mal entregue a Diego Reyes. O mexico parece finalmente afirmar-se na Europa, e tem estado muito bem ao serviço da Real Sociedad.

Pela negativa destacam-se Ghilas, com zero golos em 17 jogos no Granada, e Sami, que apesar de titular no Akhisar, tem tido muito maus desempenhos. O jovem Gonçalo Paciência ainda terá que mostrar mais até se poder considerar alternativa.

> NA PRÓXIMA PÁGINA: OS CEDIDOS DO SPORTING