A Qualificação da Islândia

AIslândia foi uma das grandes surpresas da qualificação, apurando-se em segundo lugar num grupo com quatro selecções que já tinham marcado presença em Europeus (Rep. Checa, Turquia, Holanda e Letónia).

Os nórdicos protagonizaram um arranque implacável somando vitórias surpreendentes frente à Turquia (3-0) e Holanda (2-0), garantindo o impulso decisivo necessário ao apuramento directo e histórico, com apenas seis golos sofridos.

Euro 2016 Preview | Islândia
Clique para ampliar

O Historial no Euro

Esta é a primeira vez que a Islândia se apura para a fase final de uma grande competição.

Até aqui, o melhor que tinham conseguido aconteceu há dois anos, quando na qualificação para o Mundial atingiram o play-off, caíndo aos pés da Croácia. Um bom exemplo do evolução do futebol islandês, cada vez mais suportado na geração que marcou presença na fase final de Euro sub-21, em 2011.

A Equipa

O plantel da Islândia assenta numa base muito sólida e quase intocável de 15/16 jogadores, que fez quase todo o percurso da qualificação sem grandes “experiências”.

A dupla técnica composta pelo sueco Lars Lagerback e o islandês Heimir Hallgrimsson, assenta tipicamente o seu jogo num 4-4-2 clássico, que tem como figura central o médio do Swansea, Gylfi Sigurðsson, mas que, dependendo dos jogos, se pode transformar neste Europeu num 4-2-3-1 em que Sigurðsson joga nas costas do ponta-de-lança.

Não há nenhuma ausência de peso entre os 23 convocados, à excepção talvez do ala-direito Rúrik Gíslason, sendo que o grande destaque na lista final vai para o ex-jogador do Chelsea Eidur Gudjohnsen, que apesar de não jogar muito ainda pode fazer uma “perninha” aos 37 anos.

Euro 2016 Preview | Islândia
Clique para ampliar

A Figura: Gylfi Sigurðsson

Gylfi saiu muito cedo do seu país para jogar nos ingleses do Reading e se tornar numa das maiores figuras de sempre do futebol islandês. Aos 26 anos, Sigurðsson já movimentou cerca de 25 milhões de euros em transferências e promete não ficar por aqui, já que tem sido consistentemente uma das maiores figuras do Swansea City.

Ao serviço do clube do País de Gales, tem dado nas vistas a marcar como a assistir, visto que do seu talentoso pé direito saem remates precisos com a mesma frequência com que saem passes para golo, sobretudo através de bolas paradas.

Esta época, na Premier League, Sigurdsson fez uma média de 1,7 remates de fora da área a cada jogo, entrando no top 5 de jogadores que mais recorrem a essa opção e no que toca à criação de oportunidades de golo mantém média semelhante, tanto no clube como na selecção.

De modo a ser mais do que uma presença “exótica” neste Europeu, a Islândia precisará de um Sigurðsson no topo das suas qualidades, mas com o cérebro e os pés de Gylfi a funcionar em pleno, é preciso muito cuidado com estes islandeses. A Holanda que o diga.

Aposta GoalPoint: Aron Gunnarsson

islandia-euro-2016-aron-gunnarsson-goalpoint
Aron Gunnarsson, Islândia

Outro islandês com carreira feita no futebol britânico e que actua num clube do País de Gales, neste caso o Cardiff City. Gunnarsson chegou a Inglaterra no verão de 2008 para jogar no Coventry, assumindo-se de imediato como titular indiscutível dos “sky blues. Três época depois assinaria pelo Cardiff, onde se mantêm até hoje como um dos preferidos dos adeptos.

Na selecção da Islândia, Gunnarsson é o capitão de equipa, fazendo dupla no meio-campo com o astro Sigurðsson, actuando um pouco mais recuado no terreno dada a sua maior propensão defensiva. Apesar de não ser muito alto (1,78m), Gunnarsson é um jogador muito forte em qualquer tipo de duelos, mesmo nos aéreos, onde na fase de qualificação registou uma eficácia de 74%. Faz ainda uso da sua capacidade de trabalho e concentração, sendo o maior recuperador de bolas da sua equipa,

Aos 27 anos e numa fase decisiva da sua carreira, Gunnarsson tem muitos motivos para querer brilhar neste Europeu aproveitando a visibilidade que não tem no Championship. Capaz disso é ele.

DataJogoHoraCanalEstádio
Ter. 14 JunISLÂNDIA vs Portugal20h00Sport TVStade G. Guichard, St. Etienne
Sáb. 18 JunISLÂNDIA vs Hungria17h00Sport TVStade Vélodrome, Marselha
Qua 22 JunISLÂNDIA vs Áustria17h00Sport TVStade de France, St. Denis

Engane-se quem esteja a encarar esta Islândia como “bombo da festa”. Os nórdicos são fortes, coesos, inteligentes e estão longe de ser os “toscos” de outros tempos.

O maior aviso está dado, a eliminação da Holanda na fase de qualificação com duas vitórias contra “a laranja” e nenhum golo sofrido.

É claro que Portugal tem condições para bater os islandeses no seu primeiro jogo, mas a selecção de Fernando Santos vai ter que estar ao seu melhor nível para não sofrer um percalço.