A Qualificação do País de Gales

Num dos grupos mais fracos da fase de apuramento, o País de Gales conseguiu o apuramento directo ficando no segundo lugar do Grupo B, a apenas dois pontos da favorita Bélgica mas com quatro de vantagem sobre o terceiro, a Bósnia e Herzegovina.

De realçar a solidez defensiva demonstrada pelos galeses, com apenas quatro golos sofridos uma única derrota a ocorrer na visita à Bósnia por 2-0. Curiosamente, à mesma hora, a vitória de Chipre sobre Israel garantia o apuramento directo dos “dragões”.

Gareth Bale foi (sem surpresa) a grande figura da qualificação, marcando sete dos onze golos do País de Gales.

Euro 2016 Preview | País de Gales
Clique para ampliar

O Historial no Euro

O País de Gales é um estreante num Europeu. O melhor que tinha feito até este apuramento foi em 2002, quando surpreendeu a “Europa do Futebol” ao bater a selecção de Itália por 2-1, num jogo de qualificação.

Para compreendermos bem a façanha destes jogadores basta pensar que há quase 60 anos que o país não participava na fase final de uma competição internacional de futebol. A última foi no Mundial de 1958, na Suécia, onde foram eliminados nos quartos-de-final pelo Brasil.

A Equipa

Chris Coleman foi apontado como novo selecionador do País de Gales em 2012, no seguimento da morte de Gary Speed, que até então ocupava o cargo.

Destaque para a presença na convocatória de Joe Ledley (Crystal Palace), depois do jogador ter fracturado o perónio há apenas três semanas. Coleman espera poder utilizar o médio-defensivo pelo menos no último jogo da qualificação (frente à Rússia).

O País de Gales é uma das duas equipas que, à partida, não actuará num sistema convencional de quatro defesas neste Europeu, depois de Chris Coleman se ter dado bem no 3-5-2.

Euro 2016 Preview | País de Gales
Clique para ampliar

A Figura: Gareth Bale

Querem melhor motivo para termos um Euro com 24 equipas? Já nos bastou ficar privados de Ryan Giggs em fases finais durante 20 anos, e corriamos o risco do (ainda) jogador mais caro da história do futebol viver toda uma carreira ausente dos grandes palcos do futebol internacional.

Para gáudio de todos os amantes do desporto-rei, o Euro 2016 contará com Gareth Bale, e com ele o País de Gales pode sonhar com muito mais do que apenas marcar presença.

Utilizado como homem solto atrás do ponta-de-lança, Bale terá total liberdade para tirar partido das suas capacidades, e são muitas.

capacidade de aceleração e de drible são cada vez mais complementadas com uma grande veia goleadora. Golos que surgem até de cabeça, com Gareth Bale a cotar-se como um dos mais perigosos cabeceadores da actualidade, tendo marcado nove golos dessa forma durante a época, mais do que qualquer outro nos principais campeonatos.

Aposta GoalPoint: Ashley Williams

Ashley Williams
Ashley Williams, País de Gales

Sucessivamente considerado como um dos melhores defesas centrais da Premier League, o jogador do Swansea e capitão da selecção, tem finalmente oportunidade de se mostrar numa grande competição.

No 3-5-2 de Chris Coleman, também ele um ex-central, Ashley Williams é o líbero que joga entre os outros dois centrais, e que por ser relativamente baixo para a posição (1,83 metros), tira partido do seu excelente posicionamento para acorrer às sobras de Chester e Davies.

Williams apresenta também uma  boa capacidade de passe que, tal como sucedia com os líberos à antiga, lhe permite ser o primeiro construtor da sua equipa a partir de trás.

Williams será sem dúvida o esteio dos galeses, juntamente com Ramsey e Bale. Um esteio que curiosamente até nasceu em Inglaterra, adversário no Euro, e que tendo em conta as opções para o centro da defesa não enjeitaria nada ter Ashley Williams do seu lado.

DataJogoHoraCanalEstádio
Sáb. 11 JunP. GALES vs Eslováquia17h00Sport TVStade de Bordeux, Bórdeus
Qui. 16 JunP. GALES vs Inglaterra14h00Sport TVStade Bollaert-Delelis, Lens
Seg. 20 JunP. GALES vs Rússia20h00RTP 1Stade de Toulouse

 O sorteio ditou um encontro carregado de história e simbolismo para a segunda jornada deste Grupo B. O País de Gales defronta a Inglaterra e o entusiasmo é enorme em todo o país!

Mas o seleccionador galês foi bastante claro: “De nada nos vale vencer a Inglaterra se depois não conseguimos passar à fase seguinte”. Chris Coleman acredita que o País de Gales tem reais possibilidades de se apurar neste grupo, mas para isso precisa vencer a Eslováquia no primeiro jogo.

Basta um resultado positivo num dos dois primeiros jogos para a equipa de Gareth Bale deixar tudo em aberto para a última e decisiva partida frente à Rússia.