A Qualificação da Portugal

Afase de apuramento para o Euro 2016 não podia ter começado da pior forma para Portugal. Uma derrota em Aveiro por 1-0, contra a até então discreta equipa da Albânia, lançou o alarme nas hostes “lusas” e culminou no afastamento de Paulo Bento.

Com a “entrada em cena” de Fernando Santos deu-se o regresso de vários jogadores que até então não entravam nas contas, como Ricardo Carvalho, Ricardo Quaresma e Danny.

Com um “clima social” bem mais positivo em redor da selecção seguiu-se uma série de sete vitórias consecutivas (ainda que sempre pela margem mínima) e Portugal venceu o Grupo I, garantindo a qualificação directa.

Euro 2016 Preview | Portugal
Clique para ampliar

O Historial no Euro

Portugal foi semi-finalista de um Europeu em quatro ocasiões. Em 1984 e 2000 a selecção nacional perdeu no prolongamento com a França (com Platini e Zidane a marcarem os golos decisivos). Já em 2012 foi a vez da Espanha ser o “carrasco nacional”, eliminando a “equipa das quinas” na marcação das grandes penalidades.

Foi em 2004 que Portugal teve a melhor hipótese de vencer o troféu Henri Delaunay. No único Euro organizado em Portugal, a Selecção perdeu o primeiro teste frente à Grécia, no Estádio do Dragão, mas ganhou os quatro jogos seguintes, atingindo a final. Num Estádio da Luz completamente cheio, valeu o golo de Angelos Charisteas aos 57 minutos, para a Grécia matar o “sonho português”.

A Equipa

O técnico que em 98/99 levou o FC Porto ao inédito penta-campeonato e posteriormente a Grécia aos oitavos-de-final no Mundial 2014 no Brasil, comanda agora Portugal e parte em busca do seu primeiro título internacional em selecções principais.

Ao serviço de Fernando Santos estará um leque de jogadores de enorme talento e criatividade (em especial no meio campo) com o mais valioso jogador deste torneio em claro destaque. Mas sobre “CR7” falaremos mais à frente.

Numa convocatória que reuniu um consenso nada habitual junto da comunidade desportiva nacional, destaque para as ausências, por lesão, de Tiago, Fábio Coentrão e Danny e a chamada de apenas um ponta-de-lança (Éder), dando a entender que caberá a Cristiano Ronaldo a titularidade como falso “nove”.

Euro 2016 Preview | Portugal
Clique para ampliar

A Figura: Cristiano Ronaldo

Para quem gosta de números Cristiano Ronaldo é uma bênção de factos, estatísticas e recordes que provam a figura que é no mundo do futebol.

Para além dos registos goleadores exaustivamente difundidos, Cristiano Ronaldo ja é o jogador presente na fase final com mais minutos de Euro nas pernas.

Um total de 1170 minutos de utilização, que infelizmente ainda não foram premiados com nenhum troféu, mas que o colocam a apenas 253 minutos (menos de três jogos completos) do recordista Lilian Thuram e 153 do seu actual treinador no Real Madrid, Zinedine Zidane.

Mas há mais, sabia que o nosso número 7 é o jogador que mais remates faz a cada 90 minutos em fases finais? Um impressionante registo de 5.9 remates a cada jogo, superando um dos melhores pontas-de-lança dos tempos recentes, Davor Suker que regista 5.4.

Se mantiver estas médias e melhorar a eficácia, há motivos para Portugal acreditar! Um grande Ronaldo pode significar um grande Verão para os portugueses e para Portugal. De certeza que ninguém o quer mais do que ele próprio.

Aposta GoalPoint: Danilo Pereira

Apesar da época no FC Porto ter sido bastante turbulenta, Danilo Pereira foi talvez o jogador que mais se valorizou, nos portistas. Cumprindo com brilhantismo e regularidade as suas tarefas defensivas, tanto a médio-defensivo como a central, Danilo revelou ainda um registo goleador impressionante, apontando um total de seis golos, sensivelmente um a cada cinco jogos.

Também na selecção, Danilo já se estreou a marcar, no último amigável frente à Estónia, acabando muito provavelmente com as dúvidas sobre quem deve ser o titular no vértice defensivo do losango português. Contudo nessa luta particular com William Carvalho, o médio do Porto já tinha melhores registos na eficácia de passe (87%-85%), de duelos (62%-56%), oportunidades criadas por jogo (0.6 – 0.5), e dos já mencionados remates à baliza (0.4 – 0.2).

Como em todas as fases da sua carreira, conquistado o espaço para se mostrar, Danilo só terá que explanar o futebol dinâmico, intenso e vertical que já nos habituou. Com a diferença de que agora terá muito mais olhos a vê-lo. Poderá estar aqui um dos grandes negócios do futebol português neste Verão. Seria bom sinal.

[vc_table vc_table_theme=”simple”][align-center;b;bg#000000;c#ffffff]Data,[align-center;b;bg#000000;c#ffffff]Jogo,[align-center;b;bg#000000;c#ffffff]Hora,[bg#000000;align-center;c#ffffff]Canal,[align-center;b;bg#000000;c#ffffff]Est%C3%A1dio|Ter.%2014%20Jun,PORTUGAL%20vs%20Isl%C3%A2ndia,20H00,RTP%201,Stade%20G.%20Guichard%2C%20St.%20Etienne|[bg]S%C3%A1b.%2018%20Jun,[bg]PORTUGAL%20vs%20%C3%81ustria,[bg]20H00,RTP%201,[bg]Parc%20des%20Princes%2C%20Paris|Qua%2022%20Jun,PORTUGAL%20vs%20Hungria,17H00,RTP%201,Stade%20de%20Lyon[/vc_table]

Portugal é o grande favorito para vencer este grupo F do Euro 2016. É sem dúvida a selecção com mais experiência, melhor leque de jogadores e a aquela que tem nas suas fileiras o jogador mais valioso deste Europeu.

No entanto, se Portugal quer realmente ganhar o Europeu não deverá subestimar os adversários. Se a Hungria apresenta naturais fragilidades, já a Islândia e a Áustria podem levar-nos a dizer o “como foi possível?” tantas vezes suscitado no histórico da Selecção nacional.

Não se esqueça de ler as Previews Goalpoint, onde esmiuçamos tudo o que precisa de saber sobre as selecções presentes neste Europeu (e uma fonte de conhecimento excelente para você brilhar quando tiver a ver o futebol com os amigos)!