A Qualificação da Roménia

Colocada no Grupo F, considerado por muitos o mais acessível da fase de qualificação, a Roménia qualificou-se na 2ª posição sem qualquer derrota mas com cinco empates comprometedores.

A passagem directa foi garantida apenas no derradeiro jogo, com uma vitória fora de casa frente às Ilhas Faroé, ultrapassando na linha da meta a Hungria e ficando a um ponto do vencedor do grupo…. a Irlanda do Norte!

Destaque para o seu registo defensivo, com apenas dois golos sofridos em dez partidas disputadas – sendo a melhor defesa de todas as equipas na fase de qualificação.

No entanto, o ataque da ataque da Roménia não esteve ao mesmo nível com apenas 11 tentos obtidos.

Euro 2016 Preview | Roménia
Clique para ampliar

O Historial no Euro

Já é a 5ª vez que a Roménia marca lugar em fases finais do Euro. Em três das presenças anteriores (1984, 1996 e 2008) a equipa romena não conseguiu passar da fase grupos, não logrando obter sequer uma vitória.

Apenas no Euro 2000, graças a uma geração de talentosos jogadores como Petrescu, Munteanu, Popescu e o mágico “Maradona dos Cárpatos” Gheorghe Hagi, a Roménia conseguiu avançar e chegar aos quartos-de-final da prova. Contudo, aí encontrou uma defensiva mas eficiente selecção italiana (que mesmo sem Gianluigi Buffon lesionado à última da hora) a eliminou com dois golos sem resposta.

A Equipa

A selecção da Roménia volta a ser comanda pelo experiente Anghel Iordanescu, o mesmo que levou a “Formação dos Cárpatos” aos quartos de final do Mundial de 1994. 

Depois de ter eliminado a Argentina de Maradona nos oitavos, a Roménia de Iordanescu apenas “caiu” no penáltis frente à Suécia, com o “keeper” Thomas Ravelli.

Numa convocatória onde marca presença Cristian Sapunaru (ex-defesa direito do FC Porto), destaque para a ausência (por opção) do médio Alexandru Maxim, considerado por muitos a “estrela da companhia”. O criativo do Estugarda disputou 9 partidas na fase de qualificação, tendo marcado um golo.

Euro 2016 Preview | Roménia
Clique para ampliar

A Figura: Vlad Chiriches

Não são muitos os jogadores romenos a jogar em clubes de topo da Europa, daí a escolha não ser difícil. Vlad Chiriches é um defesa-central de 26 anos que actua nos italianos do Napoli, e que, apesar de não ser muito utilizado no clube da costa sul, se apresenta como esteio da defesa, e até capitão, da selecção amarela.

A sua carreira tem sido marcada por algumas lesões, mas conta ainda com uma passagem pelo Tottenham que o recrutou no campeonato romeno depois de uma primeira aventura internacional na formação do… Benfica.

Até pela já falada boa performance defensiva da Roménia na qualificação, é de Chiriches e Tatarusanu (Fiorentina) que se espera um brilharete para evitar a previsível debacle.

Aposta GoalPoint: Lucian Sanmartean

Lucian Sanmartean
Lucian Sanmartean, Roménia

Lembra-se de Zakorakis? De certeza que sim… Na altura um pouco conhecido centro-campista com uma carreira modesta, teve o ponto alto da sua carreira no Euro 2004, quando aos 32 anos foi considerado o melhor jogador do torneio.

Não vamos tão longe em apostar em Sanmartean para repetir a façanha, mas as semelhanças são algumas, na posição, na idade, e na qualidade.

Actualmente ao serviço dos sauditas do Al-Ittihad, o médio-ofensivo acabou a época em grande com seis golos nos últimos sete jogos, e as boas indicações que já tinha deixado na fase de qualificação, onde foi o grande fantasista do meio-campo romeno (5,6 dribles eficazes p/ 90m), deixam-nos alguma água na boca para perceber o que pode fazer em França.

DataJogoHoraEstádio
Sex. 10 JunROMÉNIA vs França20h00Stade de France, Paris
Qua. 15 JunROMÉNIA vs Suiça17h00Parc des Princes, Paris
Dom. 19 JunROMÉNIA vs Albânia20h00Parc Olympique Lyonnais, Lyon

Colocada num grupo onde a França e a Suíça têm os dois primeiros lugares praticamente assegurados, o grande desafio da Roménia vai ser o jogo com a Albânia, que, em caso de vitória, pode garantir a qualificação à fase seguinte como um dos melhores terceiros classificados.

 O sucesso ou fracasso da Roménia nesta competição estará muito relacionada com a capacidade de manter os excelentes registos defensivos que evidenciou na fase de qualificação; melhorar a capacidade ofensiva para fazer frente a equipas mais fortes e ultrapassar os poucos jogos disputados pela grande maioria dos seus jogadores esta época.

“Tentámos que todos alcancem o melhor nível, mas isso parece complicado, tendo em conta que os que estão bem fisicamente têm poucos minutos nos seus clubes” – afirmou o técnico aquando da convocatória.