Portugal
(foto: Cristiano Siqueira / ESPN)

O resultado frente à Islândia “esfriou” o entusiasmo português e este é um daqueles jogos em que a estatística dificilmente explica o resultado final a não ser pela incontornável… ineficácia. Produção não faltou neste jogo, senão vejamos:

Máximos colectivos de Portugal

🔸 26 remates. O anterior máximo eram 19 (Croácia)
🔸 15 rem. fora da área. O anterior máximo eram 13 (Bélgica)
🔸 21 passes p/ ocasião. O anterior máximo eram 17 (Espanha)
🔸 40 cruzamentos. O anterior máximo eram 37 (Croácia)
🔸 29 duelos aéreos perdidos. O anterior máximo eram 26 (Rússia, Irlanda e Suécia)

Máximos individuais “lusos”

🔸 Cristiano Ronaldo, 10 remates. O anterior máximo eram 6 (Brozovic e Alaba)
🔸 Cristiano Ronaldo, oito remates fora da área. O anterior máximo eram 4 (Bale)
🔸 Cristiano Ronaldo, seis remates bloqueados. O anterior máximo eram 3 (De Bruyne e Alaba)
🔸 Nani, quatro remates de cabeça. O anterior máximo eram 3 (Giroud, Brozovic, Mandzukic)
🔸 Danilo, 13 duelos aéreos perdidos. O anterior máximo eram 11 (Long)

Resta a Portugal manter a alta rotação, melhorar a eficácia, corrigir as fragilidades e… esperar pela chegada do… verdadeiro Ronaldo.