Após darmos a conhecer ontem o melhor “onze” da fase de qualificação da Liga dos Campeões 2015/16  avançamos hoje para, num formato diferente, darmos a conhecer os 10 jogadores com melhor rendimento da Liga Europa, com base na ponderação do seu desempenho estatístico ao longo da prova, até ao momento.

Entre mais de 500 jogadores com um mínimo (por nós definido) de 270 minutos de jogo na fase de grupos da UEFA Europa League estes são os (automaticamente) eleitos pelo GoalPoint Ratings, e entre eles algumas curiosidades dignas de registo, mas já lá iremos.

Europa League 2015/16 - O top-10 GoalPoint Ratings da fase de grupos
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

“Leão” de gatilho fácil e certeiro

O “leão” Matheus Pereira (6º) é o destaque óbvio. O jovem leão pode só ter disputado 305 minutos mas deu-os por muito bem empregues e não nos referimos apenas aos três golos que obteve. Eis os seus destaques:

MATHEUS Pereira (Sporting CP)UEL 2015/16
Minutos305
Remates enquadrados p/90m2.1
% Remates enquadrados60%
Golos3
Fatlas sofridas p/90m4.1
Média GoalPoint Ratings™6.83

Fonte: GoalPoint.pt/Opta

Os referidos 60% de eficácia de remate colocam o sportinguista como o sétimo rematador mais eficaz da competição até ao momento, registo complementado com uma taxa de concretização de 25%, típica dos goleadores consagrados, algo que até nem se exige ao jovem extremo, ainda para mais nesta fase da carreira.

O brasileiro do Sporting destacou-se ainda na capacidade para arrancar faltas, sendo o 4º melhor da prova nessa variável, com a curiosidade do 1º ser um ex-jogador do Braga, Guilherme.

Bombardeiros e um canivete

Outro nome familiar para o futebol português é o de Matias Fernández (ex-Sporting, agora ao serviço de Paulo Sousa em Florença), que para mal dos pecados do Belenenses foi o jogador com a melhor média de ocasiões de golo criadas por jogo (3.5).

Destaque ainda para os goleadores Bobadilla e Aduriz, o primeiro, um autêntico bombardeiro com grande apetência para o remate e que “sacou” um 10.0 no jogo contra o AZ Alkmaar, e o segundo, fortíssimo no jogo aéreo (5.1 duelos ganhos por jogo).

E que dizer do líder, o fantasista e trabalhador Eric Choupo-Moting, que conseguiu ser o melhor driblador da 1ª fase da prova ao mesmo tempo que assegurou um lugar no top 5 dos que… mais e melhor desarmam. Um canivete-suíço sobre a relva, portanto.

O ainda muito jovem Nkoudou ficou em 2º graças à sua grande capacidade desiquilibradora (3.3 dribles certos /jogo), e eficácia de cruzamento, que lhe permitiram criar 2.4 ocasiões de golo a cada jogo.

Xerife sem armas

Nota final, negativa mas curiosa: o segundo “pior” jogador da primeira fase da Liga Europa (segundo o GoalPoint Ratings) também já jogou em Portugal e no Sporting. Chama-se Maurício e somou números muito distantes da forma que, ainda que de forma efémera, o notabilizou junto dos adeptos leoninos e até alguns especialistas no início da sua passagem pelo Sporting.