GoalPoint-Everton-Wolves-English-Premier-League-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Everton-Wolves-English-Premier-League-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Everton-Wolves-English-Premier-League-201819-90m
Clique para ampliar

No embate da jornada 25 da Premier League entre treinadores portugueses, o Wolverhampton de Nuno Espírito Santo superiorizou-de por 3-1 na visita ao Everton de Marco Silva. Num jogo de grande influência lusa, assistiu-se a três golos com assinaturas de ex-Liga NOS.

O primeiro tempo foi bem animado, com Rúben Neves (7′) a colocar os forasteiros na frentes, de penálti, e André Gomes (27′) a empatar com um excelente pontapé. Raúl Jiménez (45′) recolocou os “lobos” na frente, com um gole de cabeça, a passe de João Moutinho, em cima do descanso.

Leander Dendoncker (66′) fez o 3-1 para os visitantes, a concluir uma boa jogada de Diogo Jota – o extremo luso desperdiçou uma ocasião flagrante, mas saiu aos 77 minutos com quatro dribles completos em cinco tentativas, rendido por Hélder Costa. E a partir desse momento, a equipa de NES só teve de gerir os acontecimentos e controlar o seu adversário, nunca deixando perigar a vantagem obtida. No final os números mostram que a iniciativa de jogo pertenceu sempre ao Everton, mas foi o pragmatismo do Wolves a sair vitorioso, graças a uma grande consistência defensiva e a velozes contra-golpes. Os forasteiros precisaram de apenas quatro remates enquadrados (em oito) para marcar três golos.

O melhor em campo acabou por ser Dendoncker, autor do 3-1, com um GoalPoint Rating de 7.9, muito por culpa, igualmente, dos oito desarmes que efectuou. Quanto aos portugueses, destaque para João Moutinho, um autêntico “maestro” a pautar o jogo do Wolves, somando uma assistência em dois passes para finalização, dez recuperações de posse e cinco desarmes, e um rating de 6.5. André Gomes ficou-se pelo 6.3, pelo tento que marcou, pelas dez recuperações de posse e os três dribles completos.