Quando olhamos para os números ofensivos de uma competição, um dos detalhes que procuramos é saber que jogadores que se destacam nos duelos aéreos ofensivos. Estes podem acontecer em diversas zonas adiantadas do terreno, sobressaíndo naturalmente aqueles que são disputados (e ganhos) já no interior da grande área adversária.

Apesar de naturalmente imaginarmos esta como uma variável dominada pelos homens de características mais ofensivas, a verdade é que nem sempre assim sucede, sobretudo se recordarmos a tradicional subida dos centrais na marcação de bolas paradas.

Este facto aconteceu também nesta nossa análise, quando fomos procurar quais os jogadores que participavam em mais duelos aéreos ofensivos nas grande área a cada 90 minutos na Liga NOS – com mais de 495 minutos de utilização. Não é nenhum avançado que se destaca, é precisamente um defesa-central, e com vantagem apreciável em relação à concorrência.

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Top5-Player-18-11-2019-infog
Clique para ampliar

O seu nome é Fábio Cardoso, do Santa Clara. O central de 25 anos lidera, à 11ª jornada, no número de duelos aéreos ofensivos que regista nas áreas contrárias, nada menos que 3,3 a cada 90 minutos, bem à frente do segundo colocado do “top 5”, o bracarense Paulinho (1,9). A presença de um defesa nesta lista não é de todo surpreendente, pelas razões já expostas, e há outro ainda, no quarto posto, Pablo Santos, do Sporting de Braga.

Este número coloca, aliás, Fábio Cardoso no segundo lugar, nas principais Ligas europeias, dos jogadores que mais duelos aéreos disputam na área contrária. Apenas o ponta-de-lança holandês do Sevilha, Luuk De Jong, participa em mais disputas pelo ar nas áreas contrárias, cerca de 3,5. O também português Gonçalo Paciência, do Eintracht de Frankfurt, é sexto, com 2,5. Mas há mais.

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Top5-Player-19-11-2019-infog
Clique para ampliar

Olhando para os duelos aéreos ofensivos efectivamente ganhos dentro da área, Fábio continua a mostrar números muito interessantes, embora já sem liderar. No topo surge Paulinho, com cerca de 1,6 a cada 90 minutos, com o central a aparecer logo a seguir, com 1,4. Curioso notar que no “top 5” destes duelos surgem nada menos que três jogadores do Sporting de Braga, não espantando assim que seja a terceira equipa na Liga com mais remates de cabeça (2,7), embora sem grande correspondência nos golos obtidos desta forma (somente dois).

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Fábio-Cardoso-infog
Clique para ampliar

Estes números ainda não permitiram a Fábio Cardoso estrear-se a marcar esta temporada, ou a assistir com algum desvio pelas alturas, apesar de ter ganho os tais 1,4 duelos, equivalentes a 57% desses lances, permitindo-lhe quase um remate de cabeça por jogo. É que desses, somente 29% saíram enquadrados com as balizas contrárias.

Caso o central mantenha a regularidade com que sobre às áreas contrárias e disputa a bola nas alturas, e melhore a eficácia de remate, não é de espantar que os golos comecem a surgir. Na época passada fez cinco, quatro de cabeça, e duas assistências em 30 jogos.