Hazard pediu para ser esquecido

 (foto: Shutterstock/mooinblack)
(foto: Shutterstock/mooinblack)

Segundo o jornal belga L’ avenir o extremo Eden Hazard solicitou ao Google a “limpeza” de todas as referências à sua “inexistente” exibição frente à Argentina no último Mundial do Brasil, ao abrigo do recente decreto da União Europeia que estabelece o chamado “Direito ao Esquecimento”, que estabelece que qualquer cidadão europeu poderá exigir ao gigante da pesquisa a erradicação da sua base de dados de todos os links e referências a informações do passado que sejam considerados nocivos para a sua imagem.

Veremos se o seu pedido é aceite. Caso o belga atinga as suas pretensões deixamos desde já uma lista de figuras do nosso futebol (jogado, treinado, dirigido e comentado) sugerindo os temas cujo “esquecimento” poderão também exigir:

 

Bruno Alves – Tudo o que envolver os termos porrada, cacetada e termos relacionados.

Helder Postiga – Basicamente tudo o que remeter para a carreira pelos diversos clubes que representou.

Pinto da Costa – qualquer link que o associe ao apelido Salgado.

Luís Freitas Lobo – tudo o que escreveu sobre Purovic e Falcao antes destes chegarem a Portugal.

Luis Filipe Vieira – tudo o que envolver comparações com o Real Madrid e ameaças de demissão relacionadas com objectivos a atingir.

Bruno de Carvalho – todo o programa eleitoral de 2011.

Paulo Bento – Mundial 2014, apaguem tudo, rápido. E aquilo de Munique também.

Rui Santos – qualquer coisa que tenha dito há mais de três meses, por questões de coerência.

Djaló – Luciana.

Mário Figueiredo – promessas a clubes de menor dimensão.

Jorge Jesus – referências ao acto de ajoelhar e tudo o que envolva qualquer língua viva falada no mundo inteiro.

Cristiano Ronaldo – Lionel Messi.