Holanda 5 – Espanha 1: Robben e a História num jogo só

O segundo dia de Mundial 2014 reservou-nos desde logo um jogo e um homem que entram directamente para a galeria dos clássicos.

O Espanha-Holanda já é um jogo marcante do Mundial 2014. Nunca um campeão mundial tinha sofrido uma derrota tão pesada e se quisermos ir mais longe a última vez que a “roja” encaixou cinco golos foi em… 1963, no tempo da televisão a preto e branco, diante da Escócia (2-6).

Espanha e Holanda foram fiéis à sua identidade, mas a “laranja mecânica” mostrou que não são necessários minutos e minutos de carícias na bola para atacar mais e melhor (cinco golos em 14 remates contra um golo em dez remates). No meio do vendaval holandês, bem secundado pelo letal Van Persie, emergiu Arjen Robben, o mesmo que saiu de Espanha e do Real Madrid com a reputação quase desfeita. Dois golos com nota artística elevada e, mais do que isso, uma perfeita adaptação ao esquema de 5x3x2 de Van Gaal, formando com o referido Van Persie a dupla atacante. Solto, livre para criar, sem estar amarrado a um flanco, Robben é um problema. Por isso teve mais dribles que qualquer outro futebolista em campo. E esta é, numa altura em que já completou 30 anos e somou 20 títulos, a sua última grande oportunidade para marcar a história. E, para já, conseguiu algo de diferente. Na final sul-africana fez o sprint para a vitória mas não logrou o remate mais importante da sua vida. Em Salvador correu, humilhou Sergio Ramos, e marcou. Não terá sido tão importante, mas foi um sinal. Até para a Espanha, que, se conseguir ainda a qualificação, terá grandes possibilidades de defrontar o anfitrião Brasil nos “oitavos”.

Clique na imagem para ler em detalhe ( ilustração: Fresco Umbiatore via photopin cc / Infografia: GoalPoint)
Clique na imagem para ler em detalhe ( ilustração: Fresco Umbiatore via photopin cc / Infografia: GoalPoint)

Qual a sua impressão sobre este jogo? Que razões poderão estar na base do “crash” espanhol? Que homens sobressairam na “laranja mecânica”? Deixe-nos a sua opinião.