Inglaterra 🆚 Croácia | Três leões matam borrego à 10ª tentativa

-

Os ingleses nunca tinham vencido o jogo inaugural em Europeuse a Croácia nunca tinha perdido na estreia. O enguiço foi quebrado em Wembley, com Sterling a superar o ferrolho croata no início da segunda parte, estreando-se assim a marcar numa grande competição de selecções. Passo de gigante para a equipa dos “Três Leões” rumo aos oitavos-de-final, perante o adversário que lhe havia roubado o sonho da final do Mundial em 2018. Este foi o jogo com menos faltas na História dos Campeonatos da Europa, apenas seis.

GoalPoint-England-Croatia-EURO-2020-Ratings
Clique para ampliar

Foden ao poste e Croácia de risco zero

Os ingleses entraram dominantes e com vontade de abrir o activo rapidamente, e quase o conseguiam com o tiro de Foden ao poste à passagem do minuto 6. Os croatas, bem fechados e compactos, só a espaços se conseguiam libertar e acabaram por atenuar a superioridade inglesa no último quarto-de-hora da primeira parte, registando cinco acções na área adversária contra sete dos britânicos e dois remates (metade dos ingleses), com níveis de eficácia de passe pouco inferiores (87% para Inglaterra, 83% para a Croácia).

Um equilíbrio que se acentuou ainda mais no segundo tempo – os croatas acabaram com o mesmo número de remates dos ingleses (8) e até com maior percentagem de posse de bola (49 contra 51), mas o golo de Sterling aos 57 minutos viria a fazer toda a diferença no desfecho do encontro.

[ Só no segundo tempo a Croácia conseguiu sair do seu meio-campo ]

GoalPoint-England-Croatia-EURO-2020-pass-network
Clique para ampliar

O MVP GoalPoint👑

Kalvin Phillips costuma ser o médio mais recuado no sistema de Marcelo Bielsa no Leeds United, mas Gareth Southgate vê nele capacidade para ir mais além – e com razão, pelo menos a julgar pelo que mostrou nesta partida. Com uma eficácia de passe a roçar a perfeição (94%), foram sobretudo as acções ofensivas que impressionaram: três passes ofensivos valiosos e um de ruptura, precisamente a assistência para o único golo do jogo, além de duas acções defensivas no meio-campo adversário. Terminou com um excelente GoalPoint Rating de 7.1.

Outros GoalPoint Ratings 🔺🔻

Destaques da Inglaterra:

Sterling 6.1 – O autor do único golo do encontro, foi também um dos maiores agitadores, com três remates (ainda que só um enquadrado, precisamente o que fez o resultado), seis passes valiosos, quatro tentativas de drible e até quatro duelos aéreos ofensivos (nenhum ganho).

Mings 6.0 – O central do Aston Villa foi o escolhido para suprir a ausência do lesionado Maguire e cumpriu o papel com grande eficácia, cotando-se como o elemento em campo com mais intercepções efectuadas (quatro) e conseguindo ainda seis recuperações de posse, bem como uma eficácia de passe de 90 por cento (56 certos em 62 tentativas).

Bellingham 5.5 – Mesmo se não tivesse chegado a tocar na bola nos 12 minutos que esteve em campo, teria sempre feito história, pois tornou-se, aos 17 anos e 345 dias, o mais jovem de sempre a alinhar em fases finais de Europeus. E ainda registou cinco passes e duas recuperações de posse (mas também três perdas).

Destaques da Croácia:

Modric 6.9 – De longe o elemento mais esclarecido do lado croata. Único da sua equipa a fazer um remate enquadrado com a baliza contrária, efectuou ainda dois passes para finalização e sete recuperações de posse, sendo também o jogador que mais faltas sofreu ao longo dos 90 minutos (três).

Kovacic 5.8 – A enorme competitividade e entrega ao jogo são a imagem de marca do multi-campeão europeu de clubes, que se destacou pelo número de desarmes efectuados (três), bem como pelos dribles bem sucedidos (dois) e os 47 passes certos.

Vrsaljko 5.5 – O lateral-direito croata foi quem mais cruzamentos fez na partida (sete) e quem registou mais desarmes (quatro) e mais passes para finalização, aqui em igualdade com Modric (dois).

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.