A

estreante Islândia esteve a vencer a Hungria até aos 87 minutos mas um
auto-golo de Saevarsson devolveu alegria e o empate aos adeptos húngaros.
A eficácia islandesa (2 remates enquadrados /1 golo) equiparou-se ao domínio de bola húngara (71% de posse de bola).

Király ia estragando a tarde

Os primeiros 45 minutos foram marcados pelo controlo húngaro, com mais do dobro dos passes e com uma eficácia bastante superior (85% contra apenas 66% dos islandeses). Contudo, os islandeses mostravam-se mais perigosos e avisaram aos 31 minutos, com Gudmundsson a aproveitar um erro de Kádár mas a falhar na frente de Gabor Király.

O guarda-redes húngaro viria a estar envolvido no lance mais polémico do encontro. Num canto islandês aparentemente sem perigo, o guarda-redes veterano deixou escapar a bola e, na confusão gerada na grande área, Tamás Kádár cometeu penálti sobre Gunnarsson. Dos sete metros, Gylfi Sigurðsson colocou a Islândia na frente.

No segundo tempo, a Hungria manteve o controlo da partida mas aumentou bastante a pressão ofensiva. Os herdeiros de Puskas fizeram oito remates (o dobro da primeira parte), sendo que quatro foram enquadrados.

Mas o “iceberg islandês” parecia intransponível… até que ao minuto 88 um cruzamento de Nikolic na direita é desviado pela defesa islandês Sævarsson para a própria baliza, ao tentar impedir que o avançado Dániel Böde facturasse.

Um “balde de água quente” caía sobre a Islândia e estava reposto o empate, que se manteve até final, apesar de um livre muito perigoso a favor dos nórdicos, mesmo sobre o apito.

Gylfi Sigurðsson foi para o GoalPoint Rating o melhor campo com 6.3. O jogador islandês marcou um golo em três remates, 84% de eficácia de passe, quatro desarmes e sete em catorze duelos ganhos.

Factos Estatísticos GoalPoint:

  • Antes deste jogo a Hungria havia ganho as últimas cinco partidas que disputou frente à Islândia.
  • A Hungria esteve mais de uma hora de jogo sem somar um remate enquadrado à baliza. O primeiro ocorreu apenas aos 66 minutos, por Dzsudzsák.
  • Cinco dos últmos sete golos de Gylfi Sigurdsson pela Islândia foram de penálti.
  • A Hungria cometeu a sua primeira grande penalidade em fase finais de um Europeu.
  • Eidur Gudjohnsen é o quinto jogador de campo mais velho a jogar num Europeu, depois de Lothar Matthäus, Morten Olsen, Ivica Vastic e… Ricardo Carvalho.
  • Dois dos últimos três golos da Hungria neste Euro 2016 foram marcados ao minuto 87. Cuidado Portugal.
  • Os húngaros fizeram 328 passes no próprio meio-campo, um recorde neste Euro 2016.

Neste momento a Hungria lidera este Grupo F com quatro pontos, seguido de Islândia e Portugal com um ponto. Em quatro está a Áustria com zero. Portugueses e austríacos têm menos um jogo.

Na terceira e última jornada, os islandeses terão como adversário a Áustria, enquanto que os húngaros jogarão contra Portugal.

GoalPoint | Islândia vs Hungria | Ratings | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint |Islândia vs Hungria | 1ª parte | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Islândia vs Hungria | 2ª parte | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Islândia vs Hungria | Gilgy Sigurdsson | Euro 2016
Clique para ampliar