AItália venceu a Espanha por 2-0, numa partida que teve duas parte bem distintas. O conjunto espanhol desperdiçou o primeiro tempo e já não foi a tempo de se manter neste Euro 2016. Haverá assim novo campeão, após duas edições dominadas pelo tiki-taka eliminado.

Papéis invertidos

Ao contrário do que seria de esperar, foi a “Squadra Azzurra” a assumir a iniciativa de uma partida em que a Espanha se apresentou demasiado estática e temereosa, no primeiro tempo. 

Foi um “banho de bola” difícil de prever, aquele que os italianos ofereceram à equipa de Vicente Del Bosque no primeiro tempo. Eis os números:

  • A Itália fez sete remates (quatro deles enquadrados) contra apenas dois espanhóis (e apenas um à baliza).
  • A selecção bicampeã europeia teve apenas um passe para ocasião, contra seis dos italianos.
  • Os transalpinos entraram treze vezes na área contrária e ganharam dezanove duelos contra oito entradas espanholas e doze duelos

A grande surpresa acabou por ser o facto do resultado ao intervalo não ser mais pesado do que o 1-0 estabelecido por Giorgio Chiellini, tal o domínio e a frequência de oportunidades de golo azuis que “voaram” nos 45 minutos iniciais. Nesta fase De Gea teve um papel importante. O espanhol terminaria o jogo com cinco defesas.

Acordar tarde demais

Ao contrário do que é habitual, o golo sofrido fez bem à Espanha, que entrou decidida a alterar o rumo do encontro, no segundo tempo.

“Nuestros hermanos” reconquistaram a posse de bola (69% contra os 51% do primeiro tempo) fez seis vezes mais remates (doze “tiros”, quatro deles enquadrados) e realizou quatro vezes mais cruzamentos para a área e remates de cabeça na segunda metade…

Mas ao ter de “fechar a porta” a equipa de António Conte entrou nas suas “sete quintas”. Entregando o controlo de bola aos espanhóis (que atingiram os 69% de posse de bola no segundo tempo), a Itália apoiou-se na base defensiva da Juventus para segurar o resultado e esperar por um erro contrário para visar a baliza de De Gea.

E depois de vários falhanços clamorosos da turma espanhola, à mistura com intervenções geniais do veterano Gianluigi Buffon (cinco defesas), eis que em contra-ataque (como haveria de ser?) a Itália “matou” o encontro por intermédio de Graziano Pellé ao minuto 91. Adiós España!

O homem do jogo para o GoalPoint Ratings  foi Giorgio Chiellini com 6.7. Para além do golo que marcou, o defesa da Juventus fez ainda três alívios de bola, ganhou cinco duelos em seis e ainda “sacou” duas faltas à Espanha.

Factos Estatísticos GoalPoint:

  • A Espanha utilizou o sempre mesmo “onze” inicial nas quatro partidas que disputou no Euro 2016. Por sua vez a Itália procedeu sempre a alterações no seu elenco.
  • A Itália já não marcava qualquer golo em três dos últimos quatro jogos em fases a eliminar do Europeu.
  • A última vitória italiana sobre “nuestros hermanos” (2-1) aconteceu num amigável em Bari, com o golo da vitória a ser marcado, a seis minutos do fim, pelo sportinguista Alberto Aquilani.
  • O golo de Chiellini foi o primeiro tento sofrido pelos espanhóis desde a derrota por 3-1 contra a França no Mundial de 2006.
  • Esta foi a primeira vez que a Espanha perdeu uma partida de um Europeu por mais de um golo, desde a derrota com a Alemanha por 2-0 no Euro 1988.
  • Ambos os golos do italiano Pellé neste Euro 2016 aconteceram para lá do minuto 90.

Os bicampeões europeus despedem-se deste Euro 2016. A Itália vai agora defrontar a Alemanha nos quartos-de-final, sábado pelas 20 horas.

GoalPoint | Itália vs Espanha | Ratings | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Itália vs Espanha | 1 Parte | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Itália vs Espanha | 2 Parte | Euro 2016
Clique para ampliar
GoalPoint | Itália vs Espanha | MVP | Euro 2016
Clique para ampliar