De amador a “Payet luso” em seis meses

-

Recentemente demos-lhe conta de algo que faz de Dimitri Payet um jogador muito especial. O francês vai na terceira época consecutiva como o maior criador de ocasiões da Europa, e leva mais de 60 jogos consecutivos com pelo menos uma ocasião de remate criada.

São números que, claro está, são difíceis de superar, mas há um português recém-chegado à Liga NOS que tem coisas em comum com o francês. O seu nome é João Amaral, joga no Vitória de Setúbal, e tal como o francês chegou tarde à ribalta. Na época passada jogava no modesto Pedras Rubras, do Campeonato de Portugal, e só aos 24 anos alcançou o patamar maior do futebol nacional.

No entanto, Amaral não demorou a ganhar a titularidade no onze de José Couceiro. À segunda jornada foi lançado às “feras” na Luz e a partir daí tem justificado, e de que maneira, a aposta. Veja-se o perfil de desempenho do gaiense nesta época.

joao-amaral-vitoria-setubal-perfil-desempenho

Apesar de ainda não registar qualquer assistência, o camisola 24 só vê Pizzi (3,6) e Layún (2,6) criarem mais ocasiões de remate a cada 90 minutos que ele, muito por culpa da grande qualidade que tem evidenciado nos cruzamentos. Aí, só é superado em quantidade por Layún (1,9), mas revela-se mais eficaz que o mexicano (39% contra 34%) na hora de fazer chegar a bola aos colegas.

Fica então dúvida: como seria o rendimento de João Amaral num clube maior? No Vitória de Setúbal, o extremo só tem oportunidade de tocar na bola cerca de 44 vezes a cada 90 minutos, contra as 83 de Layún no Porto e as 95 de Pizzi no Benfica. Fomos ver quantas vezes precisa João Amaral de tocar na bola até criar uma oportunidade.

[vc_table vc_table_theme=”classic”][align-center;bg#000000;c#ffffff]%23,[bg#000000;c#ffffff]Jogador,[bg#000000;c#ffffff]Clube,[align-center;bg#000000;c#ffffff]Ocasi%C3%B5es%20p%2F%2090m,[align-center;bg#000000;c#ffffff]Toques%20p%2F%20Ocasi%C3%A3o|[align-center;u]1,[u]Belotti,[u]Torino,[align-center;u]2%2C6,[align-center;u]15%2C3|[align-center]2,Payet,West%20Ham,[align-center]4%2C6,[align-center]16%2C1|[align-center]3,Salah,Roma,[align-center]3%2C4,[align-center]16%2C3|[align-center;b;bg#f2d843]4,[b;bg#f2d843]J.%20Amaral,[b;bg#f2d843]Vit%C3%B3ria%20FC,[align-center;b;bg#f2d843]2%2C6,[align-center;b;bg#f2d843]17%2C0|[align-center]5,Keita,Lazio,[align-center]2%2C9,[align-center]18%2C2|[align-center]60,Pizzi,Benfica,[align-center]3%2C6,[align-center]26%2C2|[align-center]130,Lay%C3%BAn,Porto,[align-center]2%2C6,[align-center]31%2C8[/vc_table]

Mínimo de 580 minutos jogados nas seis principais ligas da Europa
Fonte: GoalPoint / Opta

Tendo em conta este ângulo de análise, concluímos que apenas três jogadores em toda a Europa precisam de ter menos vezes a bola até ofercer uma ocasião a um colega. São números impressionantes, protagonizados por um jogador que tem recolhido pouca atenção mediática neste arranque de temporada.

Talvez esteja a faltar a João Amaral uma grande exibição num grande palco, e perspectivam-se dois jogos contra o Sporting. Para a Liga NOS, já na próxima jornada, e depois para a Taça de Portugal. Depois não digam que não avisámos.

Fique com um “candidato a Puskas”, conseguido por João Amaral na época 14/15, ao serviço do Pedras Rubras:

GoalPoint
GoalPoint
O GoalPoint.pt é um site produzido pela GoalPoint Partners, uma start-up especializada em análise estatística de futebol, que oferece serviços dirigidos a profissionais, media, patrocinadores/anunciantes e adeptos.
GoalPoint

GRÁTIS
BAIXAR