Jogador do mês: Jackson, um arranque de campeão

O GoalPoint elege pela primeira vez o jogador do mês da Primeira Liga e a escolha é tão pouco surpreendente quanto inevitável.

Clique na infografia para ler em detalhe (foto: J. Trindade / infografia: GoalPoint)
Clique na infografia para ler em detalhe (foto: J. Trindade / infografia: GoalPoint)

Não há duas sem três, parece pensar o “dragão” Jackson Martínez acerca do título de melhor marcador da Primeira Liga, o qual não deixa escapar há duas épocas consecutivas e cuja edição 2014/15 parece querer conquistar com a determinação de quem nunca o fez. Talvez por isso a eventual saída do colombiano para outras paragens tenha acalentado compreensíveis esperanças junto de adeptos rivais e quiçá mesmo nos emblemas adversários. Jackson é sinónimo de problemas, mesmo quando não surge ao seu melhor nível, como sucedeu na época passada (e mesmo assim sagrou-se o melhor marcador).

Menções honrosas

Outros jogadores mereceriam ser contemplados pelo GoalPoint na eleição do jogador do mês de Agosto. A Norte o jovem Bernard Mensah, do Guimarães, que já aqui destacámos, vai reafirmando os benefícios que o Vitória vem extraindo da sua equipa. No Rio Ave Renan Bressan apresenta números impressionantes naquela que é, até agora, a equipa com o melhor ataque da Liga: três assistências em três jogos e uma eficácia de passe de cerca de 84%. Mas a escolha por Jackson revelou-se praticamente unânime entre a equipa GoalPoint, tal a força da influência de Jackson no sólido arranque do renovado “dragão” nesta Liga.

Golos de todas as maneiras (menos de penalty)

Dos seis golos assinalados pelo FC Porto quatro foram da autoria de Jackson: dois com o pé esquerdo, um com o direito e um de cabeça. O colombiano converteu 40% dos remates que efectuou em golo mas não se ficou por aí, fazendo ainda cinco passes para ocasião de golo, com uma eficácia de passe global de cerca de 79%, um valor elevado para um jogador que actua precisamente na zona do terreno onde está sujeito a maior pressão dos adversários.

Pese o excelente arranque do FC Porto é fácil perceber que não tivesse Jackson assegurado 66% dos golos do FC Porto até agora e possivelmente as vitórias teriam sido bem mais difíceis de obter, com especial destaque para o triunfo conquistado em Paços de Ferreira, no qual o seu golo solitário se revelou decisivo na conquista dos três pontos.