Esta é a pergunta que se impõe. Onde andou estes meses todos Sérgio Oliveira? O médio portista, que na época passada brilhou no Paços de Ferreira, vivia na obscuridade do banco ou da bancada, sendo praticamente uma carta fora do baralho nas contas do FC Porto de Julen Lopetegui. Mas com José Peseiro o cenário mudou.

Sérgio Oliveira realizou apenas três jogos na Liga NOS esta temporada, num total de 184 minutos, dois desses encontros nos três que o Porto disputou em Março. E a sua influência foi tal que é, para o GoalPoint, o jogador do mês que agora termina, com base no nosso GoalPoint Ratings™. O jogador somou uma surpreendente média de 7.33 (7.4 ante o União da Madeira, 7.2 com o V. Setúbal), e até ao momento soma um golo, precisamente à beira Sado, sete passes para ocasião (quatro frente aos sadinos), 17 recuperações de bola e 13 duelos ganhos. Uma distinção que acontece apesar de não ter sido para nós destacado como jogador mais valioso nessas duas partidas. Foi uma vitória da regularidade.

Jogador do mês | Sérgio Oliveira, herói tardio
Clique na infografia para ampliar (infografia: GoalPoint)

Em Março realizou 3,5 remates por 90 minutos, o que o coloca como o segundo melhor médio neste período, atrás de Carlos Martins. Fez também 3,5 passes para ocasião (por 90 mins), sendo o melhor médio nesta vertente, e realizou 8,5 recuperações (por 90 mins), o terceiro melhor, atrás de Luiz Carlos, do SC Braga, e Renato Sanches, do Benfica.

O médio passou a ser uma boa dor de cabeça para José Peseiro, que já tinha muitas opções para o lugar com Hector Herrera e André André. O treinador, diga-se, conseguiu manter o FC Porto na luta pelo título, apesar de a equipa parecer caminhar sobre arames no que toca aos resultados semana a semana. Teve engenho, aliás, de conseguir retirar algo dos seus jogadores, ao ponto de pelo segundo mês consecutivo ver dois jogadores seus ganharem a nossa eleição de jogador do mês (em Fevereiro foi Miguel Layún).

Notou, certamente, que Sérgio Oliveira teve uma nota pior no jogo em Setúbal (7.2), no qual decidiu o resultado com um golo, em comparação com a partida frente ao União (7.4). Tal deve-se a outros detalhes do jogo no qual o médio esteve em plano de destaque frente aos madeirenses. Como já deve ter notado, a nossa avaliação com base no GoalPoint Ratings incide sobre um vasto leque de vectores, e com o União, Sérgio Oliveira destacou-se com 86,3% de passes certos, oito recuperações de bola e realizou cinco desarmes, todos com sucesso.

Um mês atípico

Março foi um mês estranho. Ou atípico, se quiser. Apenas houve três jornadas neste período, devido aos jogos das selecções, e nos dez primeiros desta classificação o destaque vai para algumas ausências surpreendentes. O ex-crónico vencedor desta distinção, Jonas, não surge sequer entre os dez primeiros classificados, nem Layún, vencedor no mês passado. Aliás, nesta lista há três portistas (Sérgio Oliveira em primeiro, José Corona em terceiro e Yacine Brahimi em oitavo), mas nenhum elemento do líder SL Benfica ou do segundo classificado Sporting CP – os dois clubes de Lisboa registaram médias colectivas mais baixas em Março.

O segundo classificado na nossa lista é, certamente, uma surpresa para todos. Trata-se de Zé Manuel, do Boavista, atacante que somou neste mês 6.84 no nosso GoalPoint Ratings.

Terminamos com o top-10 GoalPoint Ratings™ de Março:

JogadorClubeGP Rating
Sérgio OliveiraPorto7.33
Zé ManuelBoavista6.84
Jesús CoronaPorto6.64
Marcelo GoianoBraga6.61
MauroBraga6.60
Léo BonatiniEstoril6.53
Fábio CardosoP. Ferreira6.52
Yacine BrahimiPorto6.45
Gonçalo SilvaBelenenses6.44
Diogo JotaP. Ferreira6.38

Não perca esta semana revelação dos 10 magníficos que acompanham Sérgio Oliveira no “onze” GoalPoint Ratings da Liga NOS do mês de Março!