Jonas e Slimani vão disputando atenções na Liga NOS, como máximos “artilheiros” de Benfica e Sporting, também eles separados por apenas dois pontos na corrida ao título. Já todos sabemos que os dois avançados estão num óptimo momento de forma, que os coloca entre os principais goleadores europeus da época em curso. A imprensa já nos deu conta da análise mais básica, a que diz respeito até ao peso dos seus golos no total de tentos obtidos pelos seus emblemas (38% para o brasileiro, 36% para o argelino). Haverá algo mais a dizer? Claro que sim.

Em busca dos goleadores… influentes

Decidimos olhar as Ligas de Inglaterra, Espanha, Holanda, França, Alemanha, Itália e Rússia em busca dos máximos goleadores com os quais comparar os “nossos”. Escolhemos os dois melhores de cada paragem, recorrendo não só aos minutos jogados como também às (muito importantes) assistências como critério de eventual desempate. Em seguida decidimos calcular algo que é raro encontrar a não ser no GoalPoint: a percentagem de influência efectiva de cada “bombardeiro” nos golos obtidos pela sua equipa, somando os óbvios golos às por vezes ignoradas assistências. E o que descobrimos?

Jonas e Slimani no “Top-10”

Apenas três golos separam Jonas de Slimani na tabela de melhores marcadores da Liga NOS, mas no que toca à influência a diferença é bem maior, muito por fruto do número de assistências que ambos somam. Enquanto que “Super Slim” apenas registou a sua primeira em Paços de Ferreira (e não foi por falta de tentativas, o argelino já leva 24 passes para ocasião), o “Pistolas” já ofereceu oito golos aos colegas (em 36 passes para ocasião), o que faz disparar o seu grau de influência para 54% dos golos “encarnados”, contra cerca de 43% do argelino. Vá o diabo e escolha, mas a verdade é que a diferença é clara.

Hulk, o municiador

Independentemente das diferenças, ambos os avançados (e seus clubes) podem dar-se por satisfeitos pois integram o “top-10” de goleadores mais influentes das Ligas em análise, ainda que o destaque maior vá para o brasileiro, que ocupa um impressionante terceiro posto de uma geral que incluí um pouco de tudo: desde os consagrados ( Higuaín, Suárez) às promessas (Dybala), passando pelas surpresas (Vardy) e até… pelos goleadores que escaparam ao futebol português, como é o caso de Batshuayi, que esteve perto de assinar pelo Benfica e que lidera o ranking com 19 acções com influência directa nos (escassos) 32 golos obtidos pelo Marselha até ao momento na Ligue 1.

Jonas e Slimani, entre os mais influentes da Europa

Destaque ainda para os números de Hulk que, não sendo um avançado de área, integra o top de marcadores da Liga russa com uma particularidade que o distingue dos demais: soma ainda mais assistências do que golos, para lá de disparar à baliza cerca de cinco vezes a cada 90 minutos, registo ultrapassado apenas pelo argentino Higuaín, este último com 114 “tiros” até agora!

Atrás deste “top-10” surgem nomes como Ibrahimovic, Promes, Kuyt, De Jong e Benzema, todos eles a atravessar uma época goleadora mas menos influentes que os líderes.