Mete o Cabral. O “Jovem” Cabral voltou a mexer com o resultado a favor do Sporting, na visita a Vila do Conde, marcando não só o golo mais “bonito” da noite, como aquele que tranquilizou os “verde-e-brancos”, selando os números finais de uma vitória num terreno onde a equipa da casa ainda não havia perdido esta época.

 

O momento foi apenas mais um episódio da epopeia de Jovane esta época no Sporting, na qual já soma quatro golos em todas as competições, dois deles na Liga NOS, onde ofereceu outros dois aos colegas, tudo isto em apenas 390 minutos. Ou seja, o extremo mexe com o marcador a cada 98 minutos na Liga, e sempre que o fez conseguiu-o saltando do banco. Mas se somarmos as estes dados os dois golos e uma assistência que Cabral soma na Liga Europa, a cadência torna-se ainda mais interessante: uma acção para golo a cada 68 minutos.

GoalPoint-Portuguese-Primeira-Liga-2018-Jovane-Cabral-infog
Clique para ampliar

Dos seus números destacam-se três características que casam com o que podemos observar sobre a sua forma de jogar: a propensão para o drible e para o remate, sendo que a primeira, aliada à velocidade com que procura executar as suas acções, acaba por contextualizar a terceira: o elevado número de faltas que conquista a favor dos “leões”.

Até ver, o estatuto de Nani, Acuña e (do lesionado) Raphinha não vão impedindo Jovane de aproveitar da melhor maneira as oportunidades que vai tendo, e nem a mudança de treinador o apoquentou: Marcel Keizer terá reservado na segunda-feira uma linha para o “Jovem” Cabral no seu bloco de notas.