GoalPoint-Juventus-Ajax-Champions-League-201819-Ratings
Clique para ampliar
GoalPoint-Juventus-Ajax-Champions-League-201819-MVP
Clique para ampliar
GoalPoint-Juventus-Ajax-Champions-League-201819-90m
Clique para ampliar

 OAjax voltou a espantar a Europa e está nas meias-finais da Liga dos Campeões. Após a goleada que impôs ao Real Madrid nos “quartos”, em pleno Santiago Bernabéu, por 4-1, os “lanceiros” foram a Turim surpreender a Juventus de Cristiano Ronaldo, vencendo por 2-1. E não foi um triunfo acidental, pois os holandeses deram um verdadeiro “recital” de futebol, em especial na segunda parte.

Na etapa inicial a Juve nem teve muita bola, mas deixou bem patente a sua força ofensiva, com mais remates e mais perigo, e com um golo aos 28 minutos apontado pelo suspeito do costume, Cristiano Ronaldo. Contudo, o Ajax reagiu ainda antes do descanso, com Donny van de Beek a empatar aos 34 minutos, após um erro da defesa italiana. E assim se atingiu o intervalo, com a eliminatória igualada.

No segundo tempo, os visitantes inverteram os papéis, com menos iniciativa, mas muito mais letais no contra-ataque. As transições eram realizadas rapidamente, com muitos homens e em constantes trocas de posição, na busca dos espaços vazios. Os lances de perigo iam-se sucedendo e, tal como na primeira mão, o polaco Wojciech Szczesny ia evitando males menores, com duas defesas extraordinárias a adiar o que parecia inevitável. Até que aos 67 minutos, na sequência de um canto da direita, Matthijs de Ligt saltou mais alto que toda a gente e cabeceou para o 2-1.

A Juventus tentou dar a volta ao marcador, mas o Ajax tinha o controlo das operações, terminando com mais remates e mais enquadrados, e ainda viu um golo de Hakim Ziyech ser anulado por fora-de-jogo. Assim, os holandeses vão encontrar Tottenham ou Manchester City nas meias-finais.

O melhor em campo foi, ainda assim, um jogador da Juventus, o médio Miralem Pjanic, que terminou com um GoalPoint Rating de 7.0, com uma assistência em quatro passes para finalização, 11 recuperações de posse e um corte verdadeiramente decisivo. Cristiano rematou muito (6), mas só enquadrou um disparo, que deu golo, registando ainda dois passes para finalização, pelo que não passou de um rating de 6.3. João Cancelo, que entrou aos 64 minutos, pouco fez, pelo que apresentou uma nota final de 4.5.